Ganhando condicionamento

Em um de meus primeiros passeios. Com sono e ainda sem capacete, que foi comprado algum tempo depois. Hoje não o dispenso.

Em um de meus primeiros passeios. Com sono e ainda sem capacete, que foi comprado algum tempo depois. Hoje em dia não o dispenso.

O objetivo principal de adquirir a bicicleta era locomoção. Apesar de também querer fazer exercícios com ela, não ligava muito para essas coisas de desempenho e velocidade. Mas para conseguir me locomover pela cidade precisava me preparar. Então comecei a pedalar todos os dias pela manhã.

No início, era um percurso de 9 km, todo em ciclovia. E não era fácil. Faltava fôlego, não conseguia encontrar uma posição confortável na bike e faltava cair nos obstáculos da ciclovia da Bezerra de Menezes. Passar as marchas, então, era uma história, pois eu me confundia toda. Mas mesmo com tudo isso eu ficava tão contente! Me sentia super livre e realizada por finalmente estar pedalando. A bicicleta também me deixava mais disposta e ajudava a dormir melhor. Marido tinha menos dificuldade que eu, mas também sofria um pouco.

Depois de alguns dias sentimos que o percurso poderia ser aumentado, então começamos a ir até o final da ciclovia da Bezerra, chegando até o Mercado São Sebastião. No total eram 12 km. Além de aguentar o aumento da distância, também comecei a perceber que ganhava mais equilíbrio e resistência física. Quanto à questão das marchas, algumas Googleadas e eu já começava a usar o equipamento com mais eficiência. E o sorrisão só aumentando.

Grupo de pedal

Numa tarde, marido e eu encontramos um grupo super diverso. Havia homens, mulheres, crianças e até um idoso (que, diga-se de passagem, deixava geral comendo poeira). Perguntamos para onde o pessoal estava indo e fomos convidados a acompanhá-los. Por que não? Nesse dia pedalamos uma média de 30 km, chegando até a praia de Iracema, um local onde só tínhamos ido anteriormente de carro ou ônibus.  Claro que fiquei com um sorriso que nem cabia na minha cara.

E assim, pedalando aos poucos, fui me fortalecendo e ganhando confiança para vencer limites. É o tipo de prática que recomendo para quem é iniciante e quer se locomover até o trabalho, por exemplo. Ao invés de se arrumar todo de primeira e correr o risco de se atrasar ou chegar suado demais porque ainda não se adaptou ao ritmo, treine antes. Faça percursos que tenham mais ou menos o mesmo tamanho do seu trajeto e observe quanto tempo demora para percorrê-lo. Até mesmo a questão do suor envolve adaptação, porque com o tempo a gente percebe qual é o ritmo que nos leva a suar, e que roupas são mais confortáveis e ventiladas. Procurar por ciclistas mais experientes para descobrir o melhor trajeto também ajuda muito.

No mais, é capacete, muita água, filtro solar e luzinhas instaladas (para quem pedala à noite ou em dias chuvosos). E prepare-se para sorrir.

Anúncios

2 comentários sobre “Ganhando condicionamento

  1. Pingback: De bike na Cidade na TV O Povo | De bike na cidade

  2. Pingback: De volta aos pedais | De bike na cidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s