Look de bike – Legging e boina em Recife

Look de Bike em Recife Vestido boina De Bike na Cidade by Valéria Pires (3)

Olha essa arte que incrível! O desenho é formado por latinhas velhas de tinta e o nome do artista é Junior Zurdo

Oiê! Fuçando o meu computador encontrei várias fotos do ano passado, entre elas da viagem que fiz a Recife para o I FNEBICI e que ainda não foram publicadas por aqui. E aí que encontrei este look super legal que foi fotografado pela maravilhosa Valéria Pires, uma bike anjo recifense que é a coisa mais maravilhosa dessa vida. Ela foi quem me hospedou durante os dias do evento e a simpatia e generosidade dessa querida me conquistou tanto que eu sinto muita saudade de seu carinho até hoje.  Aliás, também tô devendo falar mais sobre ela aqui no blog.

Como a Lela (apelido carinhoso) é uma empreendedora, nós tivemos pouco tempo juntas, então aproveitamos a manhã da minha viagem para Fortaleza para passear por Recife e tirar fotos. Ela me mostrou alguns dos lugares mais bonitos da cidade, com muita arte urbana e cores deliciosas. Cores, aliás, que eu fiz questão de colocar no meu look, que tem esse vestido amarelo bem alegre! Para contrapor, casaquinho escuro de bolinhas e legging preta, inaugurada nesse dia. E o meu All Star branco, comprado para a viagem porque eu tava querendo muito um tênis dessa cor.

Na cabeça, a boina que eu peguei emprestada do Yargo Gurjão, do Coletivo Nigéria. Acessório, inclusive, que eu adorei, e que eu fiquei muito a fim de roubar comprar uma pra mim. Já tem uns meses que eu parei de usar capacete (em outro momento a gente entra nessa polêmica) e não tinha pedalado de chapéu ainda. Pessoal, faz uma diferença incrível no bem estar da gente e na sensação do rosto. Até os olhos ficam mais descansados. Mas tem que ser um chapéu de tecido grosso e frio, que nem essa boina, porque eu já pedalei de boné de nylon e a impressão que dá é que a cabeça da gente vai fritar.Look de Bike em Recife Vestido boina De Bike na Cidade by Valéria Pires (1)

A pedalada foi muito confortável porque os tecidos de todas as peças que escolhi são muito leves.  Mesmo a legging sendo escura e o casaco também, e com o sol que estava fazendo, não rolou de eu ficar tão suada. Acho que também porque pedalamos pela região do Centro de Recife, que é bastante arborizada e fresca – Prefeitura, favor deixar essas árvores maravilhosas onde elas estão, por favor!Look de Bike em Recife Vestido boina De Bike na Cidade by Valéria Pires (2)

Look de Bike em Recife Vestido boina De Bike na Cidade by Valéria Pires (4)

Vocês conseguem imaginar o quanto eu estava feliz nesse dia?

Gostaram das fotos e do look? Foi uma delícia fazer este post e revisitar essas lembranças. Ah, e compartilhando com vocês, fica melhor ainda!

Um abraço e vamos pedalar! 

 

Look de Bike – blusa cinza e saia florida

20160309_144909

20160309_144940

Olá, bandipedaleiros! Tudo bem com vocês? Hoje vim compartilhar um look que usei para ir a uma reunião de trabalho e que acho que pode inspirar quem deseja utilizar a bicicleta no dia a dia e quer chegar prontinho ao destino. Acho que a combinação ficou confortável e muito bonita.

Combinei a regata soltinha e pra lá de confortável com essa saia florida linda que minha mãe me deu de presente de Natal (e que eu estava doida para inaugurar). O tecido da regata é leve, não fica grudado ao corpo e a cor é clara, o que ajuda a enfrentar o calor.

A saia também é soltinha e tem forro. O tecido de cima é bem leve, tipo uma renda. O bom dessa peça é que ela é muito confortável e o forro ajuda demais a evitar manchas de suor. Outra vantagem é que ela é curtinha, assim, não há risco de o tecido prender no freio de trás ou em outra peça da bicicleta. Como já contei antes para vocês, sempre pedalo com shortinhos por baixo das minhas saias, mas sei que muitas meninas se sentem bem pedalando sem a peça extra. E eu admiro demais essas gatas que tem essa confiança toda! #girlpower

Nos pés, sapato de salto baixo quadrado que escolhi para a pedalada Ciclochique no ano passado. Ele tem uma cor neutra e é muito confortável, perfeito para ciclistas urbanas que estão acostumadas com rasteirinhas e sapatilhas. Eu não tenho muitos saltos no guarda roupa, então esse nude aí é minha peça coringa para quando não sei que cor usar ou simplesmente quero dar um toque de elegância ao visual.

Por cima de tudo, um casaquinho para proteger do sol e deixar o look mais formalzinho. Se bem que olhando a foto agora, acho que teria sido melhor escolher um de cor mais neutra, pois o poá grandão é descontraído demais… Será que é neura da minha parte? Levando em conta que a minha reunião era com uma produtora cultural jovem e descontraída, talvez seja… Opinem aí!

Acidente de percurso

20160309_154332

Fotinha do meu Instagram e o alívio por não ter perdido nada

Reparem que na foto estou usando uma corrente comprida com um pingente lilás grande e um anel pendurados. Ocorre que na hora em que cheguei ao meu destino, me curvei um pouco para a frente e a corrente acabou rendendo no guidão e quebrando. 😦 A sorte é que não perdi nada! O pingente não tem valor nenhum, mas a aliança era da minha amada vozinha que faleceu em 2013! Mesmo não tendo grande valor financeiro, essa peça significa muito pra mim e me ajuda a sentir minha vozinha mais perto. #saudade

Então, fica a dica: evitem colares compridos no pedal. Vale guardar o acessório no bolso e colocar ao chegar no destino. Peças perdidas à parte, um colar que quebra no caminho pode até provocar um acidente, afinal, algo pode ficar preso na bicicleta ou você pode se distrair e levar uma queda. #armaria #deusmelivre #batenamadeira3x #vaiagourarocão

Um abraço e vamos pedalar!

Look de Bike – All Star branco e saia de corações

 

Look de bike Saia coração os oito odiados Quentin Tarantino Sheryda Lopes (1)

Primeiro look do ano! ^^ E esse foi para ir ao teatro do Dragão do Mar para ver BR Trans, do coletivo As Travestidas. É um grupo e uma temática maravilhosa, que tem feito um sucesso enorme pelo Brasil, e que muito me dá orgulho do meu Ceará.

E depois de muito tempo sem sair de casa, quis fazer um look divertido, para animar.  Usei uma saia preta com estampa de corações, presente da minha irmã e que tem uma modelagem um pouquinho rodada, bem bonita. Uma regatinha azul pra lá repetida e um colete marrom super interessante que ganhei da minha sogra, e que tenho usado pouco. Ele ficou um tanto tortinho na foto, mas eu juro pra vocês que é um colete legal.

Look de bike Saia coração os oito odiados Quentin Tarantino Sheryda Lopes (2)

Nos pés, o tão desejado tênis branco que minha mãe me deu de presente de Natal e para ornar, colares pretos de flores, ambos presentes, um da minha sogra e outro de uma grande amiga. E porque presente pouco é bobagem, levei na mochila um casaquinho amarelo leve, que ganhei da minha sogra, para usar dentro do teatro durante a peça. Não sei se vocês notaram, mas o look ficou meio anos 80/90, meio moleque. Acho que só faltou um chapeuzinho da Eliana com uma flor na aba pra arrematar tudo. rsrsrs

Look de bike Saia coração os oito odiados Quentin Tarantino Sheryda Lopes (4)

Look de bike Saia coração os oito odiados Quentin Tarantino Sheryda Lopes (3)

Eu já tinha pedalado com essa saia e essa regatinha antes, e a experiência, mais uma vez, foi positiva. Como a saia é de um tecido grossinho e um pouco rodada, os movimentos ficam super livres e o tecido não cola à pele nem fica úmido. Já a regatinha é tipo de um algodão bastante permeável e acaba ficando úmida na barriga e nas costas. Só que não é muito e seca rapidinho. E pedalar à noite é bom demais! Além de ver as luzes da cidade acesas, o clima é gostoso e não tem necessidade de usar filtro solar nem casaco ^^. Até pedalei com o coletinho de boas, que nem incomodou.

E como disse no início do post, os trabalhos das Travestidas são sucesso de público, crítica e bilheteria e é preciso comprar o ingresso com o máximo de antecedência para garantir lugar. Tanto que mesmo chegando uma hora antes da peça, já na fila, passa uma funcionária do Dragão informando que não tinha mais ingresso. 😦 Tinha marcado com amigos para vermos juntos e um deles conseguiu comprar. Já eu e o Eraldo ficamos sem ingresso, mas como ia passar um filme do Quentin Tarantino, resolvemos entrar.

😦

poster os oito odiados de bike na cidade indo ao cinema de bicicleta

No lugar da peça, filminho leve #sqn

Foi o primeiro Tarantino do Eraldo, e foi muito legal ver as caretas dele na hora daquelas cenas “leves” que são tão características do diretor/roteirista/produtor/mestre dos filmes sanguinolentos. rsrsrs  Se vocês ainda não viram Os Oito Odiados, recomendo. Adorei muito. E não me venham comparar com Bastardos Inglórios e Django, por favor. São filmes diferentes e todos muito bons. Assistam todos e aproveitem, não fiquem perdendo tempo decidindo qual é o melhor.

E depois do filme, pastel com os amigos. O legal é que enquanto lanchávamos nos arredores do Dragão, recebi um telefonema de mais dois amigos que viram a Shamira e a fixa do Eraldo no bicicletário. Esses encontrinhos de bicicleta ^^. Ah, e aproveitei para dar uma volta na nova bike fixa da minha amiga e matar a saudade da rua e dos amiguinhos. 🙂

Look de bike Saia coração os oito odiados Quentin Tarantino Sheryda Lopes (6)

Amigos ciclistas confraternizando 🙂

Ah, e Br Trans continua em cartaz durante o mês de janeiro no Dragão do Mar, e espero tentar de novo. Quem já assistiu deixa seu comentário aí embaixo dizendo o que achou, mas sem spoiler, faz favor. Olha que vi um filme do Tarantino recentemente e estou inspirada! #aloka

Um abraço e vamos pedalar!

 

Look de Bike – Jardineira jeans e blusinha branca

20151009_162511

O look de hoje foi fotografado num dos horários mais gostosos para pedalar, na minha opinião, que é entre 16h e 18h. Sei que a luz ficou estranha na foto, estourada, mas eu queria muito que a sensação boa de pegar esse solzinho a essa hora ficasse bem evidente. Porque é um sol morninho, sabe? Sol de despedida, agradável. É bom estar na rua e ver a galera contente voltando do trabalho, por exemplo, porque estão todos felizes (pelo menos é no que acredito). É nesse horário que a ciclovia da Bezerra fica mais lotada, cheia de pais e mães que foram buscar seus filhos na escola, pedreiros voltando para casa depois de um longo dia de trabalho e também muita gente que espera o “sol esfriar” como gostamos de dizer aqui no Ceará, para se exercitar ao ar livre.

No meu caso, saí para ir até os Correios antes que a agência fechasse para postar um celular que comprei pela Internet e que veio com defeito. 😦 Aí, aproveitei para ir até a casa nova da Aspásia Mariana para tomar um cafezinho com ela e bater um papo gostoso. Me digam se não é um programa delicioso para fazer num fim de tarde?

Quanto ao look: jardineira jeans com batinha branca e sandálias Havaianas brancas para combinar. No geral, super confortável, se não fosse pelo comprimento da jardineira, a meu ver curta demais. Não é nem pelo fator “mostrar as pernas” que peças curtas me incomodam um pouco, mas sim porque a tendência é que a barra dos shorts subam enquanto eu pedalo, aí a parte interna da coxa acaba roçando no selim, o que incomoda bastante.

E o pior é que parece que existe uma ditadura da roupa curta, né? Pelo menos eu tenho uma dificuldade grande de encontrar peças um tiquim maiores aqui em Fortaleza. De repente, todo mundo resolveu fabricar shorts com os bolsos passando do seu comprimento e com cortes na lateral externa que eu chamo de “decote de culote” que eu odeio, já que evidenciam justamente uma parte do meu corpo que não curto muito. E nada contra meninas que gostam, o que me irrita é que todas as vitrines sejam iguais, sabe? Principalmente quando o que está na moda é algo que sinto que não fica bem em mim.

Ai, como detesto esse corte na lateral, gente...

Ai, como detesto esse corte na lateral, gente…

E lá estão eles: os fundos dos bolsos

E lá estão eles: os fundos dos bolsos

Mas fora o desabafo, quero dizer que curti muito esse visual jardineira + batinha. Quando me vesti foi impossível não lembrar do filme Meu Primeiro Amor e dos looks fofíssimos da protagonista (na verdade, acho que já montei tudo pensando no longa mais amado da história da Sessão da Tarde). Ela passava várias tardes brincando e filosofando com o melhor amigo, pedalando por aí, subindo em árvores… Olha, esse filme pode passar quantas vezes quiser, que eu não vou reclamar mesmo. E continuarei amando os looks da Vada, principalmente a jardineira, que tem um ar infantil, inocente e brincalhão que eu adoro.

Quem nunca comemorou porque esse filme ia passar pela milésima vez?

Quem nunca comemorou porque esse filme ia passar pela milésima vez?

Filtro vintage para a foto em homenagem ao filme. My girl, my girl...

Filtro vintage para a foto em homenagem ao filme. My girl, my girl…

 

Um abraço e vamos pedalar!

Look de Bike – Calça Jeans, bolero e sandália de borracha

Look De Bike na Cidade Sheryda Lopes Blog bicicleta Fortaleza by Ricardo Guilherme Lins (1)

Look fotografado quase no final do dia. (Foto: Ricardo Guilherme Lins)

Nossa, há quanto tempo não publico um look, né? Confesso que estava sem muita criatividade ultimamente para bolar um visual que valesse a pena ser fotografado. E também estava me programando mal, então, sempre que lembrava da foto não dava mais tempo, porque precisava sair. Então, vamos lá!

No Dia Mundial sem Carro fui à ciclovia da Bezerra de Menezes para fazer um vídeo em parceria com o videomaker Ricardo Guilherme Lins. Em breve ele será publicado no canal do blog no You Tube (aliás, você já se inscreveu?) e por isso não vou contar muito sobre a pauta. Basta dizer que passaria muito tempo de pé e que de lá ainda iria pedalar para outra região da cidade, para uma reunião com um anunciante. Por isso, montei um visual super básico e confortável.

A blusinha de algodão azul super casou com a calça jeans reta. Não sei se já comentei aqui, mas detesto calça muito apertada, por isso evito modelos cigarrete e skinny. E como já era fim de tarde não foi preciso usar casaquinhos para me proteger do sol. Então, coloquei esse bolerinho de renda que eu acho bem delicadinho e ainda ajudou a variar um pouco dos visuais que costumo compor.

Nos pés, uma sandália de borracha muito confortável e velha, mas em perfeitas condições de uso. Eu estava inclusive desprezando a pobrezinha e passei bastante tempo sem usá-la. Mas aí, no dia da exibição do filme Bike VS Cars eu a usei e um monte de gente elogiou. Foi preciso alguém de fora me lembrar do valor da bichinha. E depois eu me toquei de que a sandália é roxa, um tom diferente dos calçados usuais e super bonito. Acho que toque de cor dá uma boa dose de personalidade à roupa, vocês não?

E para finalizar, no pescoço, um colar que ganhei recentemente da Eudora, marca da qual sou revendedora. Ele tem uma pedra grande preta que eu acho super bonita.

Pedalando

No geral, todo o visual funcionou muito bem. A regata não é muito colada e não fica tão úmida enquanto pedalo. Já a calça… Bom, ela tem um problema: tem a cintura muito baixa e eu sempre tinha a sensação de que estava descendo e mostrando a calcinha/cofrinho, já que a blusa não era tão longa. Então, ficava puxando a calça a cada parada que fazia, e isso deixou a experiência um pouco desconfortável, mas não impossível. Já a sandália, pura perfeição: confortável, bem presa ao pé e cheia de entradas que deixou os dedinhos bem refrescados.

Mas… cadê Shamira? Claro que todo look aqui tem que ter a querida, né? Só que eu esqueci que ia fotografar e acabei estacionando a bike do outro lado da rua, junto com a do Ricardo. Para não ter que voltar, destrancá-la, e tal, ela acabou aparecendo no segundo plano. Não repararam na primeira foto? Então, vamos tentar novamente:

Look De Bike na Cidade Sheryda Lopes Blog bicicleta Fortaleza by Ricardo Guilherme Lins (4)

tã-daaaan! (Foto: Ricardo Guilherme Lins)

Um abraço e vamos pedalar!

Muito estilo no Ciclochique do Mês da Mobilidade

Na última sexta fui ao pedal Ciclochique, evento promovido pela Ciclovida e que faz parte da programação do Mês da Mobilidade. Trata-se de uma referência direta ao Cycle Chic, movimento criado em Copenhagen que estimula o uso da bicicleta com roupas mais casuais e/ou mais elegantes, livrando-nos da limitação de pedalar apenas com roupas fitness.

O encontro foi na Praça Portugal e seguimos por barzinhos pela região. Quer dizer… eu só pude ir ao primeiro porque precisava voltar cedo para casa. Mas o pouquinho que fiquei foi muito divertido! Pude conferir muitos looks bonitos e ainda conheci leitores e leitoras ^^ S2. E foi muito divertido chegar num barzinho de galera e curtir música bacana. Tenho que fazer isso mais vezes.

Meu look ^^

Meu look ^^

20150904_201116

Márcia e Marcela, mãe e filha (JURO!!!)

20150904_201202

Gina, toda Hippie Cycle Chic

20150904_202012

A super estilista de bikes e tb blogueira Dora e a querida Kelly S2

20150904_202125

Lucas, mais um leitor que conheci  🙂

20150904_202413

Galera do passeio!

20150904_202528

Ciclanas! S2

20150904_202552

Ciclanas frescas ^^

20150904_202652

Mário Reginaldo, Bike Anjo, e Arthur Costa, presidente da Ciclovida

20150904_202719

Daniel Nunes Neves, Bike Anjo, leitor, cicloativista e querido amigo 🙂

Mais fotinhas!

Ser ou não ser chique?

Por causa do termo “chique”, o Cycle Chic pode passar a ideia de algo elitista, de que você tem que pedalar com roupas caras e de grife. Mas na verdade, no próprio Cycle Chic Copenhagen, fundador do movimento, é possível encontrar fotos de pessoas chiquérrimas pedalando até com chinelo de dedo, short jeans, camiseta e tênis… A mensagem é: chique é pedalar com seu estilo, não importa qual seja ele. A meu ver, a chiqueza toda está na atitude de assumir a bike como algo seu, como seu meio de transporte e como algo que faz parte do seu estilo. Até separei algumas fotinhas nesse estilo para que vocês vejam que não só de linho e salto alto vive a chiqueza.

Claro que, tem muita gente que aproveita o evento para se montar, vestindo mesmo a brincadeira. E eu adoro isso! #nascidaparaperformance Foi divertido ver as meninas pedalando de salto, com brilhos e bordados e alguns caras de roupinha bem arrumadinha, com muita estampa legal. E também foi legal ver a galera indo pra baladinha com roupa mega casual, bermuda simples e chinelo de dedo. Gente, é muito estiloso sair pra noite do jeito que você quiser! Então, vai ter chinelo de dedo sim, e isso é chique sim, senhor! hehehe E também é muito legal, para as pessoas que gostam de se vestir com roupas mais formais, elaboradas, produzidas mesmo para a noite, descobrir que não precisam descartar a possibilidade de ir de bike para a farra.

Curtiram? Então compartilhem, comentem e mandem pra mim suas fotos sendo Cycle chics/ciclochiques no dia a dia. Quero muito conferir o estilo de vocês e conhecer suas histórias! O email do blog é debikenacidade@gmail.com.

Um abraço e vamos pedalar!

Look de Bike – Nem tão chique assim

Cycle Chic nem tão chic Sheryda Lopes blog De Bike na CIdade (3)

Achei uma foto meio velhinha de um look que fotografei mas depois achei feio, e por isso não tinha postado. Sabe quando você precisa resolver algo e veste qualquer coisa, seja por preguiça ou mesmo porque não há nada limpo? Num dia em que as duas coisas aconteceram o resultado foi esse aí: camiseta de turista, sainha de criança e casaco que não combina nada com nada. Nos pés, sandália de borracha mega confortável e no rosto só filtro solar. Que preguiça de me maquiar nesse dia, gente! rsrsrsrs

E para completar, não lembro se fotografei o look antes de sair, morta de sono, ou quando cheguei em casa, meio cansada. Seja lá qual foi a escolha, a cara saiu inchadona, rsrsrsrs. Mas, por algum motivo estava feliz, então, por que não? Um look de desapego, de descompromisso de alegria e sem muita coisa combinando mesmo.

Cycle Chic nem tão chic Sheryda Lopes blog De Bike na CIdade (1)

Cycle Chic nem tão chic Sheryda Lopes blog De Bike na CIdade (2)

Look nem tão chique assim, de um dia qualquer, mas com um acessório importante: um sorriso! Sorrir é cycle chic, não importa o modelito!

Bom fim de semana!

Um abraço e vamos pedalar!