Vi de Bike – Luana Galdino

20160420_154304

Enquanto pedalava numa tarde dessas, na ciclovia da avenida Bezerra de Meneses, me deparei com uma figura vaporosa, de vestido leve, chapéu, texturas naturais e estampa floral. Tive que parar para um clique e um papo, né?

O nome da moça é Luana Galdino e tem 29 anos. Ela é costureira, super ligada em moda e usa a bicicleta como meio de transporte há mais de cinco anos. Inclusive, ela ainda tem a bicicleta que ganhou do avô quando tinha nove aninhos, e pedala nela. Só que no dia da foto ela estava na bike do companheiro, pois a dela está precisando de manutenção (uma pena, porque eu fiquei curiosíssima pra ver essa bicicleta).

Sobre o estilo, Luana me explicou que apesar de costurar, não faz todas as roupas que usa. Ela gosta de tons alegres e leves, e montou o look com detalhes florais para contrabalancear as cores neutras. Ela disse que gosta de vestidos, mas não costuma pedalar muito com eles porque acredita que chama muito a atenção dos homens e o assédio a incomoda. 😦 Quando pedala com algum modelo curtinho, lança mão da legging. Para se proteger do sol, chapéu e óculos escuros.

Eu adorei o visual porque a ideia de quebrar a monotonia com os florais, ainda mais com tons amarelos, que eu gosto tanto, funcionou muito bem. Parecia que eu tinha encontrado uma fada em pleno trânsito! ^^ E sempre que vejo alguém de chapéu sinto falta de um para proteger a cuca do sol. :/

20160420_15480920160420_154817

Espero que tenham gostado do post de hoje! Se quiserem aparecer por aqui mostrando seu estilo e contando sua história, não precisa esperar que a gente se encontre ao acaso: basta mandar um email com foto para debikenacidade@gmail.com. Vou adorar saber mais sobre vocês! 🙂

Um abraço e vamos pedalar!

Anúncios

Eventos de julho – Roda de Conversa sobre direitos e deveres no trânsito e Bate Papo Ciclovida

Imagem destacada Eventos de julho roda de conversa sobre direitos e deveres e bate papo ciclovida

Julho foi um mês bastante movimentado pra mim e, principalmente para as Ciclanas, grupo de mulheres do qual participo (e que vi nascer) que se interessa pelo uso da bicicleta como meio transporte aqui em Fortaleza. Algumas são ciclistas  efetivamente, outras ainda estão se informando sobre o assunto para se tornarem tais, e com os relatos compartilhados, acabam se fortalecendo. Algo enorme para quem, como eu, há alguns anos me sentia tão sozinha quando pensava em pedalar.

Para além do meio digital, as Ciclanas têm ocupado as ruas da capital cearense no cotidiano com suas bicis, além de realizar várias atividades que nos ajudam a ter acesso à nossa cidade e fortalecer nossas identidades enquanto mulheres ciclistas. Entre os eventos que já foram realizados pelas guerreiras estão oficinas de manutenção de bicicletas e oficinas de alongamento. Todas compartilhando seus saberes. ^^

No mês passado tive a oportunidade de participar de dois desses eventos com as Ciclanas. O primeiro foi uma roda de conversa no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura a respeito dos direitos e deveres no trânsito. Totalmente organizado pelas mulheres, teve a presença de representantes de movimentos ligados à mobilidade, além de representantes de orgãos municipais e sindicatos ligados ao transporte público.

Participei do evento como moderadora, mas o maior crédito do debate vai para as meninas que se envolveram efetivamente na organização, entrando em contato com os participantes, além de garantir o local, entre outros. Não vou citar nomes por medo de esquecer alguém, mas pensem numas beeshas garantidas! Eu adorava quando alguém parabenizava “os organizadores” pelo evento e a gente corrigia: As organizadoras! ^^ o/

Abaixo, um pouquinho da cobertura fotográfica do evento, que foi realizada pela Casa Fora do Eixo Nordeste. Aproveito para agradecer ao Elvis Nunes, que muito gentilmente transmitiu tudo ao vivo pela Internet.

Bate Papo Ciclovida #3

Só por essa imagem acho que dá para imaginar como foi

Só por essa imagem acho que dá para imaginar como foi

E na semana passada, Elaine Luz, Rosana Reis e eu participamos da terceira edição do Bate Papo Ciclovida, que teve o tema “Mulheres em bicicletas: dificuldades, superações e o papel das Ciclanas”. Falamos de machismo no trânsito, de como funciona o Grupo e sobre como a bicicleta nos ajuda a nos libertar de um monte de tranqueira nessa vida. Foi muito divertido e me deu a chance de conhecer algumas meninas com quem eu só falava pela Internet, além de também conhecer algumas leitoras e leitores :).

Aliás, o papo estava animado, tinha aquele monte de mulher presente e falando de um assunto que me deixa muito agitada, que é relação de gênero. Resultado: acho que exagerei na dose e fui extrovertida demais! Paguei muito mico, Brasil! rsrsrsrs Duvidam? Pois confiram abaixo as duas partes do bate papo! Sei que o áudio no comecinho da primeira parte não está muito bom, mas melhora depois de um tempo. ^^

O Bate Papo Ciclovida tem acontecido semanalmente e é transmitido ao vivo pelo You Tube, sendo disponibilizado depois, no próprio Canal da Ciclovida. Você pode assistir às duas edições anteriores clicando aqui e aqui.

Ah, e algumas Ciclanas já apareceram aqui no blog! Lembram da Aspasia e da Louise, por exemplo? Sem falar em várias meninas que acompanham o De Bike na Cidade e que, pouco a pouco, o grupo vem me proporcionando a chance de conhecer. Só alegria!

A propósito, além dos eventos citados neste post, em julho também participei do Pedal Ciclochique, evento realizado para divulgar a campanha de arrecadação para o Mês da Mobilidade 2015. A propósito, ainda dá tempo de ajudar!

E você, mulher urbana que está doida para pedalar ou que já pedala: tem encontrado azamiga na sua cidade? Conta aí nos comentários!

Um abraço e vamos pedalar!