No meu tempo…

20160415_133237

“Olha, minha filha, azamiga da sua vó”

Já comentei várias vezes aqui no blog que é muito legal viver esse momento de mudanças em Fortaleza. Ver a bicicleta sendo cada vez mais reconhecida como um veículo sustentável (embora ainda com uma longa pedalada pela frente até chegar ao cenário ideal) e mais mulheres de bicicleta nas ruas é fantástico.

Eu imagino no futuro, QUANDO (percebam o otimismo) a violência no trânsito tiver diminuído muito e a gente só tiver engarrafamento de bicicleta (que nem em Copenhagen), eu lá conversando com os meus netinhos. Eles e elas tudo acostumado a andar de bicicleta pra todo canto me perguntando se era verdade que no começo dos anos 2000 o povo só queria saber de comprar carro e as mulheres eram desencorajadas a pedalar. Aí eu vou contar pra eles que era verdade sim, que o pessoal chamava a gente de doida e que tinha que ser corajoso pra andar de bicicleta.

“Pra vocês terem uma noção, eu tinha um grupo enorme de amigas que conversava sobre o machismo no trânsito. E quando algum macho réi inventava de ser fresquim ou valentão, a gente esculhambava”, eu lá contando e eles impressionados, e quem sabe, orgulhosos, da ancestral aqui. Eu iria mostrar fotos de papel pra eles e eles iriam pirar nos looks vintage 2016.

Pois é, marido e eu gostamos de “revelar” fotos, vocês sabiam? Costumamos juntar pastas das lembranças mais marcantes de determinados períodos e aí aproveitamos promoções de compra coletiva para imprimir. Já tem um tempo que não fazemos isso, mas é graças a esse hábito que preservamos fotos do começo do namoro, da faculdade, do casamento, da reforma da nossa casa… Tudo isso teria se perdido com o fim do Orkut e do nosso computador que morreu.

Aí que eu planejo fazer dois álbuns para incluir nas lembranças da família: Um só com Looks de Bike e outro com fotos das Ciclanas. Já pensou, que incrível, ter e mostrar fotos das minhas amigas guerreiras empoderadas daqui a uns 50 anos? Gente, eu acho que vai ser um registro histórico de uma etapa importante das mulheres de Fortaleza.

Claro que antes de nós muitas outras pedalaram e pedalam, sem serem ouvidas, fotografadas ou até sem nem perceber o quanto elas fazem parte de uma história de libertação. Pensando nisso, quem sabe não rola também um álbum só com fotos do Vi de Bike com as pessoas que fui encontrando no meu caminho? De uma coisa eu sei: a bicicleta entrou na minha história pra nunca mais sair e com certeza estará na caixinha de lembranças da minha família.

E as fotos do post de hoje entrarão nesses álbuns: São de um final de almoço com amigas Ciclanas dia desses no Benfica. Tinha mais meninas, mas eu estava morrendo de fome e só conseguia pensar em comer. Na hora de fotografar só restavam a Elaine Luz, salvadora das amigas trancadas, adêvogada amada que tem luz no nome e na alma e que já foi entrevistada pela Dora Moreira; e a Aspásia Mariana, que é nossa artista, guerreira, Mulan, Bike Anjo, bruxa plantadora de gerimuns e gateira. A Aspas fez até “pose de blogueira” pras fotos! hahahaha

Espero que vocês tenham gostado do post de hoje e que eles inspirem seu fim de semana. Sejam felizes, celebrem com suas mães a história que elas construíram e vamos juntos também centrar forças num amanhã mais próspero, gentil e do bem.  Pra galera que vai chegar saber que a gente pensou com carinho no que queria deixar pra eles.

"Em 2016, a gente era rochêda"!

“Em 2016, a gente era rochêda”!

Um abraço e vamos pedalar!

Anúncios

Dica: Como pedalar sem pagar calcinha

Olá, pessoal! Quando comecei a pedalar percebi que algumas calças de cintura baixa ficavam desconfortáveis, pois mostravam a calcinha e/ou cofrinho quando eu me curvava. Neste vídeo curtinho eu conto como me adaptei a isso. Confiram e não esqueçam de deixar aquela curtida feliz e de se inscrever no canal!

Ah, é bom ressaltar que essa característica de não querer mostrar a barriga e ter vergonha de deixar a calcinha aparecer quando ando de bicicleta é algo meu, e eu não tenho nada contra às meninas que curtem mostrar mais o corpo. Na verdade, tenho até invejinha porque acho que essas mulheres têm bastante confiança e isso é super legal. E eu queria saber se tem algum truque para pedalar de top e blusa curtinha + cintura baixa sem mostrar a calcinha, ou se o lance é desencanar mesmo. Se vocês souberem, contem aí nos comentários!

Um abraço e vamos pedalar!

Confira a programação do Mês da Mobilidade 2015 aqui em Fortaleza

Mês da Mobilidade 2015 Fortaleza De Bike na Cidade

Como dito antes, a campanha do Catarse deu certo e a Ciclovida conseguiu arrecadar a grana para o Mês da Mobilidade. E a coisa já tá rolando, viu? Ontem, abrindo a programação, teve o Desafio Intermodal e sexta tem o quê? Quem disse Pedal Ciclochique, ACERTOOOOOU!!!! Então, pensa no look de sexta e confere tudo que vai rolar nesse setembro bapho!

Ah, e no dia 11 vou moderar uma roda de conversa que vai ter a participação da diva girl power Aline Cavalcante, além de outras mulheres muito baphônicas! O papo com certeza vai ser incrível, então, save the date!! Ainda não fechamos a relação de convidadas, mas quando tudo estiver direitinho conto pra vocês.  E tem também oficina de mecânica com a Aline! Essas duas atividades são organizadas pelas Ciclanas, o coletivo de mulheres ciclistas urbanas que está deixando Fortaleza de cabelo em pé com tantos feitos incríveis.

E sobre o evento de ontem, infelizmente meu celular descarregou 😦 e eu acabei não tirando fotos. Sorry! Mas adivinha quem ganhou o desafio? Bike, claro. Mas a Ciclovida (Associação de Ciclistas Urbanos de Fortaleza) ainda vai organizar os dados direitinhos e divulgar o resultado depois, pois o Desafio Intermodal não leva em conta só o tempo, mas também a relação custo benefício de cada meio de transporte, além dos benefícios (ou malefícios) ao meio ambiente. #pqligeirezanãoétudo

Programação Mês da Mobilidade 2015

Dia 4
Ciclochique, com ‪#‎Bonde‬ Bike Anjo
Concentração: 18h30min, na Praça da Gentilândia
Partida: 19h30min
Destino: Bares da Varjota

Dia 5
Roda de Conversa com o Poder Público (Detran/CE, Paitt, AMC, Etufor, Ciclovida e Direitos Urbanos)
Horário: 17h às 20h
Local: Auditório da Livraria Cultura

Dia 6
Rota Turística com Paulo Probo
Horário: 15h
Concentração: Teatro José de Alencar
Trajeto: Centro de Fortaleza

Dia 10
Exibição de Bike vs Cars com Aline Cavalcante
Horário: 19h
Local: Ciclocine Dragão do Mar

Dia 11
“Sobre duas rodas: caminhos pra emancipação feminina”, com Aline Cavalcante e moderação de Sheryda Lopes do blog de bike na cidade
Horário: 19h
Local: Auditório do Dragão do Mar

Dia 12
Ação Educativa
Horário:8h às 9h30min
Local: cruzamento da Av. Antônio Sales com Av. Rui Barbosa

Palestra dos Convidados Nacionais. Com Paulo Aguiar (Pedala Manaus), Ênio Paipa (Bike Anjo Recife) e Aline Cavalcante (oGangorra/SP)
Horário: 17h às 20h
Local: Auditório Dragão do Mar

Dia 13
Escola Bike Anjo
Horário: 8h30min às 11h
Local: Praça Luiza Távora

Oficina mecânica com as Ciclanas e Aline Cavalcante
Horário: 15h
Local: Praça da Gentilândia

Dia 19
Multa Moral
Organizador: Direitos Urbanos
Hora: 10h
Ponto de encontro: Igreja Nossa Senhora de Nazaré – Montese

Dia 20
Projeto Walk Fortaleza – organizador Direitos Urbanos
Horário: 9h30min
Local: Rua Otoni Façanha (rua compartilhada atrás do hospital São Carlos)

Dia 22
Dia Fortaleza Sem Carro

Dia 26
Ação Educativa
Horário: das 8h às 9h30min
Local: cruzamentos da Av. Washington Soares com Av. Professor Miguel Dias

Seminário Direitos Urbanos
Realizador: Direitos Urbanos
Tema: Calçadas e acessibilidade
Hora: 15h
Local: Parque Rio Branco

 

A programação foi divulgada na fanpage da Ciclovida. É legal dar uma olhadinha por lá de vez em quando, para o caso de alguma alteração 😉

Um abraço, anotem tudo na agendinha e vamos pedalar!

+ de Mil curtidas, + de 50 inscritos!!!

Mil curtidas 50 inscritos2

Estou começando a semana (e o mês de setembro) com o pedal direito! Muito feliz com duas conquistas relacionadas ao blog. A primeira delas é que a fanpage do De Bike na Cidade ultrapassou 1.000 curtidas! \o/ São mais de mil personas que acharam que valeu a pena apertar a mãozinha simpática da página e, quem sabe, se inscreveram para acompanhar cada postagem em sua timeline.

A segunda conquista é que o canal no You Tube do blog acaba de ultrapassar suas primeiras 50 inscrições! Iurru!!!

Eu sei que esses números podem não parecer tão grandes, afinal, há You Tubers e blogueiros por aí que já planejam suas festas para comemorar 500 mil, um milhão de inscritos… Inclusive, muitos dos vídeos de comemoração me emocionam demais. Ora, marmininu: se eu posso me emocionar com a alegria deles, por que não celebrar meus passinhos também? Passos, aliás, que considero os primeiros de uma jornada que pretendo realizar por muito tempo, e sempre com muito carinho. Então, nada mais justo que compartilhar com vocês essa celebração. E claro, agradecer! Valeu, mesmo, galera! Sério! Este projeto, o carinho que recebo e cada conquista alcançada são motivos de muita alegria!

Ah, e saibam que a cada vez que um de vocês me conta que comprou a primeira bike, ou foi pedalando pela primeira vez ao trabalho, alcançou uma distância um pouquinho maior que no dia anterior, ou, quem sabe, aprendeu a fazer os primeiros ajustes na bicicleta… eu super celebro junto! E são grandes conquistas de vocês, por isso, emocione-mo-nos!! \o/ Com mesóclise e tudo!

Então, peço que vocês continuem acompanhando meu trabalho, me mandando seus depoimentos e opiniões e compartilhem o conteúdo com quem achem que vai se interessar. Tudo isso é super importante para mim!

 

Obrigada, um abraço e vamos pedalar!

 

Bike Anjo ensina jornalista a pedalar

Tive o privilégio de acompanhar e registrar o processo de ensinar uma pessoa a andar de bicicleta. O Bike Anjo da vez é o Caio Erick, um querido amigo, e a mais nova ciclista de Fortaleza é a jornalista Fátima Babini. Foi uma tarde muito legal na companhia desses dois e vocês podem acompanhar um pouquinho por meio do vídeo abaixo. Ah, e aproveitando, não deixem de dar aquela curtida esperta e se inscrever no canal do blog De Bike na Cidade no You Tube. 😉

A próxima Escola Bike Anjo vai ser domingo, 14 de junho na Praça Luiza Távora, mais conhecida como a Praça do Ceart, a partir das 08:30. É uma excelente oportunidade para aprender a pedalar, trocar ideia sobre mecânica de bicicletas e sobre como se comportar no trânsito, experimentar bikes e também para ajudar outros futuros ciclistas. Como a cidade está cada vez mais sendo contaminada pela delícia das pedaladas, os Bike Anjos estão precisando de ciclistas voluntários. Se você quer compartilhar um pouco do seu conhecimento, chegue mais cedo e pegue instruções com essa galera super do bem.

Escola Bike Anjo

Quando – 14 de junho, às 08:30.

Onde – Praça Luiza Távora (mais conhecida como Praça do Ceart).

Mais informações – Evento no Facebook e fan page Bike Anjo Fortaleza.

Uma abraço e vamos pedalar!

Vi de Bike – Louise Brandão

Sorriso que contagia

Sorriso que contagia

Essa criatura linda na foto é a estudante de farmácia Louise Brandão, de 23 anos. Eu a conheci na maravilhosa roda de conversa com mulheres que pedalam aqui em Fortaleza, e suuuper curti a energia da moça. Claro que ia rolar um Vi de Bike com ela, né, gente?

A história da Louise é um pouco parecida com a minha, com a diferença de que ela experimentou a vida de motorista quando fez 18 anos e comprou um carro (até tenho carteira, mas não cheguei a comprar um veículo motorizado). Só que esse meio de transporte não se mostrou nada sustentável para sua vida financeira, então ele foi deixado de lado. Em 2011, o bichinho ciclístico, simpático e naquele momento, cheio de mistérios, chamado ciclismo urbano a mordeu. E aí, ela teve a ideia de usar a bicicleta para se locomover, mas se assustou com a experiência.

“Comprei a bicicleta e fui andar pelas ciclovias. Na hora de ir pra rua, travava completamente. O trânsito não ajudava; os motoristas buzinavam, passavam muito perto e  muito rápido. Cada buzinada ou aproximação de um carro e eu me retesava toda”, conta. Para piorar, as pessoas sempre davam conselhos apavorados à moça, falando de assaltos iminentes e de como essa ideia maluca tinha mil possibilidades de dar errado. Nossa, como isso soa familiar.

Por um tempo, Louise se convenceu de que não seria possível realizar sua vontade, embora ainda quisesse muito. Então, no final de 2014 a bicha encasquetou que ia pedalar sim, senhora. Não teve medo, nem conselho que a fizesse mudar de ideia. Decidiu que essa seria uma das muitas transformações que estava promovendo em sua vida naquele momento.

Então, começou a correr e a malhar para adquirir condicionamento físico. Pediu ajuda de uma Bike Anjo, pedalou nas ciclofaixas de lazer para perder, aos poucos, o medo dos carros. Um belo dia se arrumou, botou a mochila e foi! #destruidoramesmo \o/

Transformação

Toda essa superação pela qual Louise teve que passar lhe rendeu ótimos frutos. Hoje ela pedala cerca de 25 km por dia, sendo por volta de 12 km cada trajeto. “Chego na faculdade feliz, acordada e tenho um rendimento nas aulas muito melhor. Acho que isso resume a minha relação com a bicicleta. Pra mim ela simboliza transformação, determinação e liberdade”, orgulha-se.

“Saio da Aldeota pro Pici em uns dias e da Aldeota pro Rodolfo Teófilo em outros. E alguns dias ainda tenho que  pedalar a distância entre o Pici e o Rodolfo Teófilo, quando tenho aula em campus diferentes. Nesses dias, deve dar uns 28 km no total. Acho que minha velocidade média deve ser uns 15 km por hora”. Tem pique, né? E ela garante que chega bem mais rápido de bike do que de carro ou ônibus.

Como acontece com todo mundo que escolhe a bike como meio de transporte, ela lamenta a hostilidade dos motoristas violentos que ainda existem. Mas ela não desiste, e quando precisa de dicas ou inspiração para resolver alguma dificuldade relacionada ao pedal, procura pelas informações. Algumas de suas fontes são o De Bike na Cidade (o mar maió, o mar milhó), o PedalGlamour e o Vá de Bike.

Estilo

Para cumprir as atividades do cotidiano, ela não tem muitos truques, apenas coloca as mesmas roupas que usaria se estivesse a pé, carro ou ônibus. Achei muito interessante ela sempre pedalar com mochila. Pra mim, o bagageiro é essencial, e pedalar usando bolsas me incomoda, tanto por aumentar o calor quanto por me dar dores nas costas. Mas isso só prova que cada um tem seu jeitinho de descobrir e viver sua relação com a bicicleta. E só tem uma maneira de descobrir a sua: pedalando!

Um abraço e vamos pedalar!

8 de maio – De Bike ao Trabalho

É cedo para chamar para uma atividade para maio? Acho que não! Aliás, quanto mais cedo melhor, afinal, quem nunca tentou pedalar para o trabalho pode ir se preparando porque no próximo dia 8 é dia de ir #DeBikeaoTrabalho. Essa campanha acontece anualmente e é promovida pelo pessoal do Bike Anjo, esse povo abençoado que ensina iniciantes a pedalarem nas grandes cidades.

E para dar início à campanha de 2015, eles soltaram um vídeo lindo e pra lá de Cycle Chic. Tenho certeza que vai inspirar meninos e meninas que também aquelas pessoas loucas por sapato. Que cores são essas, hein, professora Liana?

E você aí? Topa participar? Comece a se preparar, pense no look e não deixe de mandar fotos pra mim que eu quero muito saber como foi sua primeira experiência. Aliás, isso não vale só para os iniciantes, viu? Quero fotos e histórias de toooooodos vocês! #aloka #blogueiracarente

#DeBikeaoTrabalho 2015

Quando: 8 de maio

Mais informações: De Bike ao Trabalho

Um abraço e vamos pedalar!