Bicicletaria oferece espaço e ferramentas gratuitas para ciclistas

Bancada Compartilhada Bitelli Bikes blog De bike na CIdade Sheryda Lopes Foto Bitelli Bikes(6)

Foto: Bitelli Bikes

Desde que comecei a pedalar, um mundo de possibilidades se abriu para mim. Na contramão da cultura individualista que combate a interação e o compartilhamento, a bicicleta me mostrou que pode ter olhar no olho, solidariedade, gentileza… E isso deixa a cidade mais humana e acessível para as pessoas.

Mas se para muitos a gentileza parece algo impossível nessa cultura do cada um por si, imaginem uma oficina que compartilha seu espaço e ferramentas de forma gratuita para que os próprios ciclistas façam os ajustes em suas bikes! “Ah, Sheryda! Isso tem na Europa, filha! Não aqui, em Fortaleza”! ERRADO!

A Bitelli Bikes, bicicletaria especializada em fixas e urbanas oferece, entre outros produtos e serviços, uma bancada compartilhada com suporte para acomodar a bicicleta durante o ajuste, além de diversas ferramentas. É só chegar e usar o espaço! Um ótimo apoio para quem não tem alguma ferramenta específica, por exemplo ou ainda, que tem ciúmes da bike e não deixa mais ninguém fazer os ajustes. E se precisar de algo, a loja tem vários itens de mecânica à venda, além de bebidas geladas, cafezinho e uns lanchinhos para beliscar. Mas o consumo não é obrigatório para a utilização do espaço.

Bancada Compartilhada Bitelli Bikes blog De bike na CIdade Sheryda Lopes (3)

A Bitelli disponibiliza espaço e instrumentos para ajustes na sua bike

Bancada Compartilhada Bitelli Bikes blog De bike na CIdade Sheryda Lopes (2)

Um monte de negocinhos que quero aprender a usar!

Bancada Compartilhada Bitelli Bikes blog De bike na CIdade Sheryda Lopes (1)

Olha só quanta ferramenta!

Bancada Compartilhada Bitelli Bikes blog De bike na CIdade Sheryda Lopes (5)

A chave de lock ring é utilizada na manutenção de bikes fixas e está à disposição na Bitelli

Eu fui até lá para comprar um pneu novo para a Lanterna e aproveitei para fazer um ajuste no meu selim. Tive ajuda da Mara Oliveira, que é mecânica de bicicletas e sócio proprietária do estabelecimento. E além de me oferecer o material e o espaço (pra lá de confortável e bonito, diga-se de passagem) ela ainda me deu uma mãozinha porque eu não sei fazer nada. rsrsrs

Bancada Compartilhada Bitelli Bikes blog De bike na CIdade Sheryda Lopes (4)

Eu tentando ajustar a mesa da bicicleta com a ajuda da Mara Foto: Bitelli Bikes

Bancada Compartilhada Bitelli Bikes blog De bike na CIdade Sheryda Lopes (6)

Depois de trabalhar na bike, refri beeem gelado para refrescar! Foto: Bitelli Bikes

Gostaram da dica? Então, compartilhem com seus amigos e comecem a sujar essas mãozinhas de graxa!

Bitelli Bikes

Endereço: Rua Livio Barreto, 528 A, Dionísio Torres, Fortaleza-CE.
Telefone: 085 98848-5348
Horário de funcionamento: De terça à sabado 13h às 20h e domingo das 10h às 16h.
Bitelli no Facebook: facebook.com/BitelliBikes

Uma abraço e vamos pedalar!

Publieditorial.

Anúncios

Tipos de Bicicleta – O que é uma bike fixa

11079456_1056182121063902_659396366931525691_o

Marcada pela simplicidade, elegância e mecânica diferenciada. Foto: Bitelli Bikes

Quando uma pessoa resolve se tornar ciclista urbana, geralmente procura por bikes que proporcionem um deslocamento mais confortável e que minimize o esforço. Pois é, mas existe uma galera que vai na contramão disso, e adere a uma bicicleta que precisa que o ciclista pedale o tempo todo. Quando para de pedalar, a roda para junto. Então: adeus, banguela! Essa é a bicicleta de roda fixa, ou bike fixa, como é mais conhecida. Suas principais características são a simplicidade no design e mecânica, resistência das peças e o fato de as rodas girarem sempre junto com os pedais, inclusive para trás. Sim, é possível pedalar de ré.

A Mara Oliveira é mecânica de bicicletas e socioproprietária da Bitelli Bikes, bicicletaria especializada em bikes urbanas e fixas aqui em Fortaleza, e é uma fixeira apaixonada. Ela garante que existe uma mágica na bike fixa. “Quem utiliza esse tipo de bicicleta não tem vantagens relacionadas ao deslocamento, porque é preciso aprender a controlar a bike, e tem a questão de não parar de pedalar. Mas com certeza é um pedal mais divertido e que faz te sentir muito mais conectado com o veículo”, conta.

eba fevereiro sheryda lopes de bike na cidade (6)

Mara Oliveira e sua bike fixa

Eu já dei algumas voltas na fixa da Mara e de outras pessoas em eventos como a Escola Bike Anjo e achei muito interessante a sensação. Por não estar acostumada, senti bastante medo nas primeiras vezes, e claro, me cansei bastante pondo força para manter os pedais girando o tempo todo. E isso num espaço pequeno, uma pracinha, né? Imaginem só fazer um percurso inteiro numa bicicleta dessas? “Quem for preguiçoso vai deixar de ser pedalando na fixa, porque ela te força a pedalar mais, e cada vez mais rápido. É uma bicicleta que te motiva”, explica.

O que faz a bike fixa ter essa conexão contínua do giro dos pedais com a roda é o fato de ao invés de possuir um sistema de catraca, que é o que permite fazer uma banguela, ela tem um pinhão. “É como se fosse uma catraca travada”, explica. Assim, numa descida, por exemplo, quando costumamos ficar com os pés parados controlando a velocidade da bicicleta com os freios, na bike fixa os pedais não param de girar em nenhum momento. Embora assim as pernas do ciclista não parem, o que parece cansar bastante, por outro lado dessa forma é possível controlar a velocidade da descida para uma correspondente à vontade de quem está conduzindo a bicicleta.

Freios

11742858_1107816109233836_5500312062725658103_n

O freio é muitas vezes dispensado pelos fixeiros. Foto: Bitelli Bikes

Como se não bastasse a ideia de pedalar o tempo todo, que já causa bastante estranhamento em quem não conhece a fixa, segura essa: Muitos fixeiros optam por pedalar sem freio! Ou melhor, sem as manetes de freio, aqueles gatilhos que apertamos para parar a bicicleta. “Na bicicleta fixa, o movimento dos pedais para trás e em seguida parar de pedalar, ajuda a travar as rodas da bicicleta, o que funciona como um freio. Então o próprio pedal é um freio”, explica Mara. O que pode parecer perigoso acaba refletindo num uso mais cauteloso da bicicleta. “Como a parada com a fixa não é tão súbita como as das bicicletas de roda livre, dificilmente um fixeiro vai arriscar manobras que não vai conseguir. Alcançar um sinal verde antes que feche, por exemplo, é algo que ele não vai fazer se não tiver certeza de que vai conseguir”.

Ela lembra que para se acostumar com o jeito de pedalar nesse tipo de bicicleta é preciso tempo e provavelmente problemas vão acontecer. Tanto que traz consigo duas cicatrizes grandes na barriga e ombro, resultado de uma queda ocasionada simplesmente porque o pé escapou certa vez do pedal e encostou no chão.

Mas nem isso a fez desistir do estilo e mais: a levou a aprender mais sobre mecânica para que pudesse fazer os ajustes na própria bike e, posteriormente a abrir a bicicletaria especializada. “Muitos mecânicos nem sabiam o que era uma bicicleta de roda fixa. Além disso, as peças eram muito difíceis de achar e a comunidade fixeira se juntavam para comprar tudo pela Internet. Aqui a gente faz ajustes e disponibiliza várias peças e ferramentas”, conta. A bicicletaria também conta com vários modelos de bicicletas de roda fixa à venda. E dá até para tomar uma cervejinha bem gelada ou outra bebidinha enquanto escolhe.

Cores

Como as bicicletas de roda fixa costumam ter menos coisas instaladas (marchas, freios, etc), o visual clean se tornou uma de suas características. A ideia é que quanto menos coisas instaladas, melhor. E se falta acessório, sobra estilo na hora de escolher as cores, que muitas vezes são vibrantes e cheias de personalidade. “É comum pessoas começarem a usar a fixa por acharem a bike bonita. E elas são lindas mesmo” declara a fã do estilo.

O preço de uma bike fixa de entrada (que você pode ir aperfeiçoando com o tempo) varia entre mil e R$ 2 mil. Ela já vem pronta e o ideal é que o fixeiro compre uma do seu tamanho certinho, para evitar dores nas costas e outros problemas. Para isso, Mara recomenda um bike fit, teste que ajuda a descobrir as medidas corretas do quadro para cada tipo de pessoa. Também é importante comprar a bicicleta num local especializado porque a fixa precisa de peças muito resistentes, para aguentar a tração da aceleração e desaceleração constante.

Gostaram? Vocês acham que encaram uma pedalada numa fixa? Se querem saber mais sobre outro tipo de bicicleta, não deixem de acessar também o post que explica direitinho o que é uma bicicleta urbana!

Um abraço e vamos pedalar!

Serviço

Bitelli Bikes

Endereço: Rua Livio Barreto, 528 A, Dionísio Torres, Fortaleza-CE.
Telefone: 085 98848-5348
Horário de funcionamento: De terça à sabado 13h às 20h e domingo das 10h às 16h.
Bitelli no Facebook: facebook.com/BitelliBikes

Publieditorial.

Bicicletaria especializada em fixas e urbanas é inaugurada em Fortaleza

Além de serviços de manutenção o local oferece lanches, bebidas, espaço de convivência e ferramentas compartilhadas

Bitelli De Bike na Cidade by Sheryda Lopes  (1)

Bike fixa à venda na loja

Durante muito tempo as lojas daqui foram inundadas de mountain bikes, bicicletas apropriadas para o uso em trilhas. Isso porque o uso das bikes era mais visto como algo esportivo. Com as mudanças pelas quais nossa cidade vem passando, tanto em sua estrutura quanto nos hábitos da população, bicicletas urbanas e fixas têm sido mais procuradas. Só que ainda não são todos os estabelecimentos que sabem lidar com as especificidades dessas bikes. Eu mesma já tive vários problemas para consertar a Shamira, porque alguns mecânicos de bicicletas não conheciam o modelo e ainda diziam que a culpa das marchas não passarem, por exemplo, era minha. :/

Mas, enquanto alguns profissionais do mercado usam essa tática de culpar o cliente, outros têm uma estratégia muito melhor. Recentemente, por exemplo, Fortaleza ganhou um lugar especializado em bicicletas urbanas e fixas. É a Bitelli Bikes, um espaço super lindo e descolado que, além de oficina, ainda é um espaço de convivência, com venda de bebidas e lanches rápidos.

Além do visual incrível do lugar, duas coisas me chamaram a atenção: uma das donas, a ex-estudante de arquitetura Mara Oliveira, 25, é a mecânica! Gente, me fala se não é muito luxo? Eu já conhecia a moça de uma Escola Bike Anjo e até já pedalei em sua bicicleta roda fixa. Na ocasião, vi quando ela praticamente desmontou e montou de novo a própria bike. :0 “Gosto muito de bicicletas e sou em quem vai mexer nelas, então tem tudo pra dar certo. É muito amor”, declara a empresária/mecânica/fixeira.

Claro que eu, que não sei nem calibrar o pneu da minha bicicleta, fico fascinada quando encontro uma mulher que conhece essas técnicas, mas Mara explica que a Bitelli fará reparos e revisões mais básicas e que em casos mais complexos eles encaminharão os clientes para colegas. Ainda assim eu acho bapho.

Compartilhamento

O segundo fator que curti muito na Bitelli foi o fato de eles terem uma espécie de uma “oficina compartilhada”. Funciona assim: o espaço e as ferramentas estão disponíveis para quem sabe fazer os ajustes em suas bicicletas, bastando, para isso, consumir alguma bebida ou lanche no estabelecimento. Ou seja: não precisa pagar aluguel do espaço ou do material.

Para usar as ferramentas, não precisa pagar

Para usar as ferramentas, não precisa pagar

“Temos uma ferramenta aqui que é cara e difícil de encontrar, específica para ajustes nas fixas, mas que seria pouco usada por um único ciclista. Então, vale mais a pena compartilhar a ferramenta do que comprar uma para si”, explica Allan Araújo, 26, programador, namorado e sócio da Mara. Eles esperam que os clientes que optarem por esse benefício tenham bom senso, e acreditam que não vai rolar de, por exemplo, alguém passar o dia inteiro e consumir só uma água ou desrespeitar quem está esperando a vez. É um verdadeiro voto de confiança para o público, na minha opinião. #Curti

Além do compartilhamento, o casal de empresários afirma que a Bitelli também poderá servir para guardar a bicicleta de alguém que tome cerveja além da conta ou que, por qualquer outro motivo, não possa voltar pedalando para casa. “Amamos bicicletas e nosso estabelecimento é amigo dos ciclistas. Tenho certeza de que isso vai ajudar muito”, reforça Mara.

Bitelli De Bike na Cidade by Sheryda Lopes  (7)

Allan e Mara: parceiros no amor, no ciclismo e nos negócios

Já fiquei sabendo de vários ciclistas que foram se encontrar na Bitelli (tem gente praticamente morando lá #piadainterna), mas, infelizmente, ela fica muito longe da minha casa e por isso só fui no dia da inauguração. Mas fica a dica para quem mora pertinho e precisa de uma atenção mais especial para sua bicicleta urbana ou fixa.

 Bitelli Bikes

Endereço: Rua Livio Barreto, 528 A. Fortaleza.
Telefone: 085 8848-5348
$$: R$ 10 a 60, dependendo dos ajustes e peças necessários para realizar o serviço.
Horário de funcionamento: 13h às 20h.
Bitelli no Facebook: facebook.com/BitelliBikes
Um abraço e vamos pedalar!

Eventos – Bicicletada da Massa Crítica, Bate papo sobre cicloturismo e Oficina de mecânica básica para mulheres

De hoje até amanhã o que não falta é evento para quem gosta de bicicletas aqui em Fortaleza. Aqui vão algumas informações de pelo menos três deles. Vale a pena conferir e marcar presença.

Para as meninas, chamo atenção especialmente para o terceiro, que já é fruto da 1ª roda de conversa das Mulheres CiclistAs aqui de Fortaleza. 😉

Vamos lá, à agenda.

– Bicicletada Massa Crítica Fortaleza – Em solidariedade aos ciclistas de São Paulo

massa crítica

A Massa Crítica é um movimento com origem internacional que defende as bicicletas e a mobilidade urbana. Aqui no Brasil, se estende por várias capitais, realizando, em toda última sexta-feira do mês, uma bicicletada para chamar atenção da sociedade para as magrelas. Em Fortaleza, o Massa Crítica é responsável pela pintura de várias ciclofaixas cidadãs, entre outras ações.

Este mês, a bicicletada vai ser em apoio aos ciclistas de São Paulo, pois recentemente o Ministério Público entrou com uma ação para suspender a construção de ciclovias naquela cidade. Isso vem gerando polêmicas e revolta entre os ciclistas, que querem ver a estrutura cicloviária das grandes capitais avançar, e não retroceder. A expectativa é de que milhares de ciclistas por todo o país juntem-se ao evento, que promete ser histórico.

Quando: 27/03/2015 (hoje), com concentração às 19:30h

Onde: Praça do Ciclista, em frente à Autarquia Municipal de Trânsito, na avenida Aguanambi. O trajeto da bicicletada será decidido no local.

Mais informações: Evento no Facebook.

 

– Bate Papo sobre Cicloturismo

cicloturismo

O argentino Martin Corrales, que está viajando de bicicleta desde junho de 2013, estará presente na Bitelli Bikes para um bate papo sobre Cicloturismo. Bom para quem está com aquela coceirinha de vontade de pegar a estrada. o/ #debikenanaturezaselvagem

Quando: 28/03/2015 (amanhã), às 13h.

Onde: Bitelli Bikes. Rua Livio Barreto, 528 A.

Mais informações: Evento no Facebook.

 

– 1ª Oficina de Mecânica Básica de Bicicletas para Mulheres

oficina para mulheres

A 1ª Oficina de Mecânica Básica de Bicicletas PARA MULHERES é um espaço inicial e autoorganizado. Nós, ciclistas urbanas dos mais diversos bairros de Fortaleza, sentimos essa necessidade após a roda de conversa de mulheres ciclistas urbanas realizada na Casa Feminista, no último dia 14 de março. É a primeira atividade de caráter prático/didático das muitas que decidimos realizar, fiquem ligadas e cheguem junto no grupo de Mulheres Ciclistas no Trânsito de Fortaleza https://www.facebook.com/groups/531147383694553/.

A FACILITADORA:
Edmea Queiroz Fraga é educadora física e ciclista urbana há mais de 20 anos.

Esse evento deveria ter ocorrido no 8 de março, Dia Internacional de Luta das Mulheres, durante a Escola Bike Anjo. Mas houve um monte de contratempos, que adiaram a vontade de promover algo que aproximasse as mulheres da mecânica de seus veículos. O bom é que após o oito, conseguimos realizar uma roda de conversa incrível, e a cada dia estamos conhecendo mais e mais mulheres de Fortaleza que pedalam ou desejam pedalar. Assim, provavelmente a oficina vai ser mais legal que se tivesse sido realizada no dia marcado. Tudo em seu tempo.

E eu tive agora uma viagem… Tipo… Os corpos das mulheres são cheios de tabus, desde a infância. Não podemos sentar de perna aberta, usar roupa curta demais, andar sem blusa depois de certa idade, e em muitos casos, somos proibidas até de nos masturbar e conhecer os nossos próprios corpos. De saber por nós mesmas do que gostamos e o que nos dá prazer, enquanto aos homens, o direito de se tocar chega a ser exaltado.

Seria muita loucura traçar um paralelo com nossas bicicletas? Pense bem: de certa forma nos é proibido saber mexer nelas, não acham? Sempre nos falaram para pedir aos homens para consertar as coisas, que isso não era coisa de mulher, que não éramos capazes, que não podíamos nos sujar… Não são mais ou menos às mesmas minhocas que colocaram nas nossas cabeças em relação ao nosso prazer? Então tá mais que na hora de se libertar desses tabus, né? Que tal vencer as barreiras e começar a aprender a mexer na bike? Daí pra emancipação completa é só caminhada. Ou melhor, pedalada. #blogueirafilósofa #naomiwolfperde #meperdoanaominuncamaisfaloisso

Quando: 28/03/2015, às 16h.

Onde: Praça da Gentilândia. Avenida 13 de maio com Rua Waldery Uchôa, Fortaleza

Mais informações: Evento no Facebook, que além de informar sobre o encontro, é também um espaço para já ir expondo as dúvidas e começar a nivelar as questões a serem trabalhadas no espaço. Tudo construído coletivamente.

 

E aí? Vai em algum? Em todos? Tá sabendo de algum outro evento ligado às bicicletas e que não tenha entrado neste post? Pois então, conte aí nos comentários. 😉

 

Um abraço e vamos pedalar!