Que ferramentas devemos levar na bolsa?

Olá! Já contei aqui no blog algumas vezes sobre quando fiquei no prego com minha Shamira e até com a Lanterna, que é a bike do maridão. Como não sei fazer os reparos básicos e estava desprevenida nessas ocasiões, as bicicletas tiveram que se hospedar em locais de emergência até que viesse alguém nos prestar socorro. Resolvi então procurar a mestra Mara Oliveira, mecânica de bicicletas e sócio proprietária da Bitelli Bikes, para falar um pouco das ferramentas que devemos ter na bolsa para o caso de uma câmara de ar furar, por exemplo. Além de serem úteis para essas emergências, esses itens podem nos ajudar a entender melhor nossas bikes e conquistar mais autonomia.

Ah, e esse vídeo foi captado pelo Ricardo Guilherme Lins, que já realizou outro projeto com o De Bike na Cidade, e editado pelo Morfeu Gilson. O Morfeu também criou as vinhetas de abertura e encerramento que ficaram fofíssimas! Confiram aí e nos digam se gostaram!

Um abraço e vamos pedalar!

Anúncios

Bicicletaria oferece espaço e ferramentas gratuitas para ciclistas

Bancada Compartilhada Bitelli Bikes blog De bike na CIdade Sheryda Lopes Foto Bitelli Bikes(6)

Foto: Bitelli Bikes

Desde que comecei a pedalar, um mundo de possibilidades se abriu para mim. Na contramão da cultura individualista que combate a interação e o compartilhamento, a bicicleta me mostrou que pode ter olhar no olho, solidariedade, gentileza… E isso deixa a cidade mais humana e acessível para as pessoas.

Mas se para muitos a gentileza parece algo impossível nessa cultura do cada um por si, imaginem uma oficina que compartilha seu espaço e ferramentas de forma gratuita para que os próprios ciclistas façam os ajustes em suas bikes! “Ah, Sheryda! Isso tem na Europa, filha! Não aqui, em Fortaleza”! ERRADO!

A Bitelli Bikes, bicicletaria especializada em fixas e urbanas oferece, entre outros produtos e serviços, uma bancada compartilhada com suporte para acomodar a bicicleta durante o ajuste, além de diversas ferramentas. É só chegar e usar o espaço! Um ótimo apoio para quem não tem alguma ferramenta específica, por exemplo ou ainda, que tem ciúmes da bike e não deixa mais ninguém fazer os ajustes. E se precisar de algo, a loja tem vários itens de mecânica à venda, além de bebidas geladas, cafezinho e uns lanchinhos para beliscar. Mas o consumo não é obrigatório para a utilização do espaço.

Bancada Compartilhada Bitelli Bikes blog De bike na CIdade Sheryda Lopes (3)

A Bitelli disponibiliza espaço e instrumentos para ajustes na sua bike

Bancada Compartilhada Bitelli Bikes blog De bike na CIdade Sheryda Lopes (2)

Um monte de negocinhos que quero aprender a usar!

Bancada Compartilhada Bitelli Bikes blog De bike na CIdade Sheryda Lopes (1)

Olha só quanta ferramenta!

Bancada Compartilhada Bitelli Bikes blog De bike na CIdade Sheryda Lopes (5)

A chave de lock ring é utilizada na manutenção de bikes fixas e está à disposição na Bitelli

Eu fui até lá para comprar um pneu novo para a Lanterna e aproveitei para fazer um ajuste no meu selim. Tive ajuda da Mara Oliveira, que é mecânica de bicicletas e sócio proprietária do estabelecimento. E além de me oferecer o material e o espaço (pra lá de confortável e bonito, diga-se de passagem) ela ainda me deu uma mãozinha porque eu não sei fazer nada. rsrsrs

Bancada Compartilhada Bitelli Bikes blog De bike na CIdade Sheryda Lopes (4)

Eu tentando ajustar a mesa da bicicleta com a ajuda da Mara Foto: Bitelli Bikes

Bancada Compartilhada Bitelli Bikes blog De bike na CIdade Sheryda Lopes (6)

Depois de trabalhar na bike, refri beeem gelado para refrescar! Foto: Bitelli Bikes

Gostaram da dica? Então, compartilhem com seus amigos e comecem a sujar essas mãozinhas de graxa!

Bitelli Bikes

Endereço: Rua Livio Barreto, 528 A, Dionísio Torres, Fortaleza-CE.
Telefone: 085 98848-5348
Horário de funcionamento: De terça à sabado 13h às 20h e domingo das 10h às 16h.
Bitelli no Facebook: facebook.com/BitelliBikes

Uma abraço e vamos pedalar!

Publieditorial.

Tipos de Bicicleta – O que é uma bike urbana

Bicicleta Urbana Bitelli Bikes Fortaleza blog De Bike na Cidade Sheryda Lopes_by Ricardo (5)

Muita gente me procura para pedir conselhos sobre que bicicleta escolher. Antes de começar a pesquisar, a gente pensa que essa questão é muito simples, mas aí se depara com diversos tipos de bike, acessórios, preços… um monte de informação que pode deixar quem está por fora cheio de dúvidas. Neste post, vamos falar sobre as características da bicicleta urbana, o tipo de bike que eu uso para me locomover em Fortaleza.

Em primeiro lugar, é bom dizer qual é o objetivo da bicicleta urbana: chegar. E chegar bem, sem estar ofegante, sem suar muito e com o máximo de conforto. “Como o objetivo da bicicleta urbana não é a velocidade, os modelos são geralmente maiores e o ciclista pode ficar numa postura mais ereta. Não precisa ‘quebrar o vento’ durante a pedalada”, explica Mara Oliveira, mecânica de bicicletas e sócio-proprietária da Bitelli Bikes, bicicletaria especializadas em urbanas e fixas que foi inaugurada este ano, aqui em Fortaleza. “É o tipo perfeito para quem, por exemplo, vai trabalhar de bicicleta e não tem onde tomar banho”, completa.

Para tornar a pedalada mais eficiente na cidade, Mara explica que a bicicleta urbana tem características específicas.  Os pneus, por exemplo, devem ser mais finos e lisos tornando a bicicleta mais leve.  O diâmetro do pneu da bicicleta urbana geralmente é maior, fazendo o ciclista percorrer mais metros com menos pedaladas e mais conforto.

Bicicleta Urbana Bitelli Bikes Fortaleza blog De Bike na Cidade Sheryda Lopes_by Ricardo (4)

Aro grandão para uma pedalada mais confortável

Embora na maior parte das vezes os pneus sejam finos, instalar um “pneu balão”, que é um pouco mais gordinho e pesado, pode ajudar a amortecer o impacto em buracos no meio urbano, sem precisar de suspensão, por exemplo. “Algumas pessoas acham que a suspensão faz muita diferença, mas a verdade é que ela é pouco usada na cidade, adicionando apenas peso à bicicleta. Já cheguei a pegar bicicletas cujo um terço do peso da bike estava todo na suspensão. E como o impacto na cidade não é grande como acontece nas trilhas, por exemplo, a suspensão estava sem uso. Travada”, conta. Literalmente, um peso morto na bike.

Marchas

Assim como a suspensão, o jogo de marchas pode ser um item questionável, principalmente em Fortaleza. Mara recomenda a instalação desse recurso para pedalar em cidades como Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo, que têm muitas ladeiras. Mas aqui, onde o relevo é muito plano, ela considera que ter 21 marchas pode ser um exagero. “As pessoas acham que há bicicletas sem marcha, mas toda bike tem pelo menos uma. É possível personalizar essa marcha, deixá-la mais leve ou pesada conforme a preferência do ciclista”, diz. Com menos marchas, a bicicleta urbana acaba se tornando mais simples na hora da manutenção.

A minha Shamira é uma Tito Urban Premium, que tem suspensão dianteira e um jogo com 21 marchas. Antes de comprá-la, soube dessas questões, de que esses recursos podem estar sobrando, e de vez em quando penso em tirá-los. As marchas, por exemplo, uso praticamente só três ou quatro, das 21. E a suspensão realmente deixa a bicicleta mais pesada, além de me atrapalhar na hora de encontrar um  cestinho (em bikes com suspensão frontal é preciso um modelo específico). Mas acho que sou meio acomodada e por isso não faço essas mudanças. ^^’

Acessórios

Quem pedala na cidade geralmente tem alguma bagagem e não quer sujar a roupa de graxa ou de lama.Por isso, a bicicleta urbana precisa de acessórios como cestinho, bagageiro, paralamas e cobre corrente. Para instalá-los, o quadro deve ter furos para a colocação dessas peças, ainda que elas não acompanhem a bicicleta. E cuidado: há modelos que podem te prender a marcas específicas, limitando o ciclista a usar somente acessórios do mesmo fabricante. “O ideal é que as peças da bicicleta urbana sejam acessíveis e facilmente encontradas, mas como o mercado brasileiro passou muito tempo ofertando apenas mountain bikes, isso nem sempre acontece”, afirma Mara.

Além dos furos no quadro, é bacana que seu design seja rebaixado para facilitar a subida na bicicleta. Para a mecânica, as classificações de bicicleta masculina (quadro alto) e bicicleta feminina (quadro baixo) são machistas. “Um homem usando calça jeans tem tanta dificuldade de levantar a perna quanto uma mulher. Na Europa a maior parte das bikes urbanas têm quadro rebaixado e nem por isso os homens deixam de usá-las”, opina.

Personalize

O preço de uma bicicleta urbana varia, em média, de R$ 500 a R$ 2 mil, dependendo dos acessórios e recursos da bicicleta. Na Bitelli é possível escolher as peças e montar o veículo conforme as necessidades do ciclista. “Embora o guidão mais alto, por exemplo, seja característico da bike urbana, nem sempre ele é o ideal. Precisa harmonizar com o tamanho do quadro e a altura do selim”, explica.

Da mesma forma, o mito de que os selins mais finos são menos confortáveis que os fofinhos podem enganar o comprador. “O selim certo é o apropriado para cada formato de bacia. Nem sempre o maior vai ser melhor para todo mundo. Por isso é importante analisar todo o conjunto e até experimentar, antes de efetuar a compra” explica Mara. Com a ajuda da bicicletaria especializada, você pode montar a bike do seu jeitinho.

Gostaram do post? Compartilhem com aquele amigo ou amiga que está escolhendo a bicicleta e deixem aí nos comentários suas opiniões. Espero ter ajudado!

Um abraço e vamos pedalar!

 

Serviço

Bitelli Bikes

Endereço: Rua Livio Barreto, 528 A, Dionísio Torres, Fortaleza-CE.
Telefone: 085 98848-5348
Horário de funcionamento: De terça à sabado 13h às 20h e domingo das 10h às 16h.
Bitelli no Facebook: facebook.com/BitelliBikes

Publieditorial.