Entre irmãs e irmãos – Fórum Nordestino da Bicicleta

De Bike na Cidade FNEBICI 2015 Recife Bicicleta Sheryda Lopes (9)

Foto: FNEBICI 2015

Já falei muitas vezes sobre a minha história com a bicicleta e sobre o quanto precisei de tempo para amadurecer e quebrar barreiras até que, efetivamente, começasse a pedalar. E desde que Shamira entrou na minha vida, as coisas vem mudando muito, tanto na minha relação com a cidade quanto naquela que tenho comigo mesma. Em 2015 estou zerando a vida: conheci mulheres da minha cidade que pedalam e se apóiam. Conheci Aline Cavalcante, cujos escritos e ações me ajudaram no tempo em que ainda sonhava com pedais. E na semana passada tive a honra de viajar para Recife para o primeiro Fórum Nordestino da Bicicleta, para falar sobre a experiência sensacional das Ciclanas aqui em Fortaleza e contar um pouquinho da minha própria história. Lá, conheci ainda a Renata Falzoni, uma jornalista e ciclista urbana que admiro bastante.

Foram quatro dias trocando ideias com cicloativistas nordestinos e alguns de outras regiões. E como foi bom estar ali, ouvindo aqueles sotaques diferentes do meu mas que traziam todos uma essência de Nordeste. Eram depoimentos e reflexões relacionadas ao uso da bicicleta, como já havia lido tantas vezes nos blogs do Sul e Sudeste que me informaram muito e continuam me informando. Mas, desta vez, eram relatos onde me identificava por causa do clima e da cultura. Senti que estava entre os meus. E minhas! Siiiim! Quantas mulheres nordestinas arretadas, guerreiras, descendentes de tantas outras nordestinas que fizeram sua luta nesse nosso chão, que seja rachado pela seca, molhado pelo mar ou pela lama do mangue, ou ainda, cujos pés subiram e desceram nossas serras enfrentando o machismo, tão intenso e cruel na nossa região. E quantas não pedalam, nesse Nordeste? Pois bem, fomos pauta e fizemos pauta nesse primeiro Fórum! E juntas, escreveremos história que orgulharão nossas netas. Parafraseando Ivânia de Alencar, bruxas de nós mesmas, sim!

E que mulheres loucas para mobilizar! Fala-se em Ciclanas em outros estados! Fala-se em construir debates, pedaladas, coletivos ciclofeministas regionais e nacionais! Nossas fitinhas inspiraram e viajaram para a Bahia, Paraíba, Sergipe… Enfeitam bicicletas cujas donas vão colocar a boca no trombone e o dedo nessa ferida aberta e fedida que é o machismo, presente até mesmo na fala de alguns homens que afirmam pedalar pelo direito à cidade. Ah, mas não esquecendo também dos companheiros dispostos a refletir sobre seus próprios privilégios e fortalecer o debate.

E falamos também da bike na periferia, refletindo sobre a invisibilidade de tantas bicicletas velhas e enferrujadas que carregam pessoas e sustento todos os dias. Esse Fórum representou passos dados rumo a um Nordeste que já anda de bicicleta desde que o mundo é mundo, e que agora pedala rumo a um diálogo cada vez mais transversal.

E no ano que vem, Fortaleza vai sediar a segunda edição do evento! Quero ver esta capital cheinha de cor! Quero ver quem faz o melhor baião de dois e que novidades vão enriquecer nossa cidade. E quero receber meus irmãos e irmãs nordestinas tão bem quanto fui recebida lá em Recife.

2016, chega logo que a gente já está se coçando para dar o grau aqui!

Um abraço e vamos pedalar!

Anúncios

Rumo a Recife – Fórum Nordestino da Bicicleta

Screen-Shot-2015-08-05-at-12.57.51-PM1

Gente, tô super emocionada! Amanhã embarco para Recife para o Fórum Nordestino de Bicicleta. Só isso já me deixa feliz pra caramba, já que é a primeira vez que participo de um evento como esse ligado a bikes (já participei de outros fóruns, com outros temas, e foram experiências enriquecedoras) e também é a primeira vez que visito Recife, cidade da qual falam tão bem. Mas some a isso o fato de que, além de serem quatro dias de palestras, painéis, exibição de filmes, entre outras atividades, haverá uma roda de diálogo sobre  o Papel da Bicicleta na Emancipação Feminina! E adivinhem quem recebeu a honra de participar dessa atividade, representando as Ciclanas? Eu!

Gente, conhecer mulheres de Fortaleza que pedalam, Aline Cavalcante, mulheres de outros estados nordestinos, Recife, tudo no mesmo ano, é muita emoção para este coração feminista bicicleteiro! Quero muito agradecer à Ciclovida por ter disponibilizado as duas passagens ofertadas pela organização para que mulheres daqui de Fortaleza pudessem participar (sem isso eu provavelmente não teria como ir), às Ciclanas por permitirem que eu nos represente e também à Valéria Pires, a ciclista de Recife que vai me hospedar durante esses dias. Obrigada mesmo!

E aproveito também para agradecer antecipadamente ao Ênio Paipa, Bike Anjo de Recife que conheci aqui no mês passado, por ir me buscar no aeroporto. Siiiim! Eu vou pedalando para o Aeroporto daqui, vou levar Shamira, e vou sair pedalando do Aeroporto de Recife!! Geeente, que emoção! Shamira vai voar! Tô muito ansiosa por essa experiência! Já andei treinando com o marido como desmontar algumas partes da bicicleta e tudo, caso seja necessário. Torcendo para não precisar tirar os pedais, já que não consegui fazer isso. ^^’

Shamira semidesmontada!

Shamira semidesmontada! O canal Chave Quinze me ajudou muito. Super vale a visita! (Foto do meu Instagram)

E eu espero produzir conteúdo para o blog sobre o que vai rolar nesses dias, mas não sei se vou conseguir fazer isso lá ou só quando voltar. Então, tenham um tantinho de paciência e, se quiserem me acompanhar em tempo real, sigam-me no Instagram que eu provavelmente vou postar muuuita fotinha! Meu perfil é @sherydalopes.

Ah, e para quem não for participar do evento (se você vai e conhece o blog, não deixa de falar comigo por lá, por favor), dá uma olhadinha na programação e fala o que vocês mais acharam interessante e gostariam que eu comentasse. Assim posso tentar dar uma atenção especial a esse tema. 😉

Fórum Nordestino da Bicicleta

Site: www.fnebici.com.br/

Facebook: facebook.com/fnebici

Então, até logo!

Um abraço e vamos pedalar!

Confira a programação do Mês da Mobilidade 2015 aqui em Fortaleza

Mês da Mobilidade 2015 Fortaleza De Bike na Cidade

Como dito antes, a campanha do Catarse deu certo e a Ciclovida conseguiu arrecadar a grana para o Mês da Mobilidade. E a coisa já tá rolando, viu? Ontem, abrindo a programação, teve o Desafio Intermodal e sexta tem o quê? Quem disse Pedal Ciclochique, ACERTOOOOOU!!!! Então, pensa no look de sexta e confere tudo que vai rolar nesse setembro bapho!

Ah, e no dia 11 vou moderar uma roda de conversa que vai ter a participação da diva girl power Aline Cavalcante, além de outras mulheres muito baphônicas! O papo com certeza vai ser incrível, então, save the date!! Ainda não fechamos a relação de convidadas, mas quando tudo estiver direitinho conto pra vocês.  E tem também oficina de mecânica com a Aline! Essas duas atividades são organizadas pelas Ciclanas, o coletivo de mulheres ciclistas urbanas que está deixando Fortaleza de cabelo em pé com tantos feitos incríveis.

E sobre o evento de ontem, infelizmente meu celular descarregou 😦 e eu acabei não tirando fotos. Sorry! Mas adivinha quem ganhou o desafio? Bike, claro. Mas a Ciclovida (Associação de Ciclistas Urbanos de Fortaleza) ainda vai organizar os dados direitinhos e divulgar o resultado depois, pois o Desafio Intermodal não leva em conta só o tempo, mas também a relação custo benefício de cada meio de transporte, além dos benefícios (ou malefícios) ao meio ambiente. #pqligeirezanãoétudo

Programação Mês da Mobilidade 2015

Dia 4
Ciclochique, com ‪#‎Bonde‬ Bike Anjo
Concentração: 18h30min, na Praça da Gentilândia
Partida: 19h30min
Destino: Bares da Varjota

Dia 5
Roda de Conversa com o Poder Público (Detran/CE, Paitt, AMC, Etufor, Ciclovida e Direitos Urbanos)
Horário: 17h às 20h
Local: Auditório da Livraria Cultura

Dia 6
Rota Turística com Paulo Probo
Horário: 15h
Concentração: Teatro José de Alencar
Trajeto: Centro de Fortaleza

Dia 10
Exibição de Bike vs Cars com Aline Cavalcante
Horário: 19h
Local: Ciclocine Dragão do Mar

Dia 11
“Sobre duas rodas: caminhos pra emancipação feminina”, com Aline Cavalcante e moderação de Sheryda Lopes do blog de bike na cidade
Horário: 19h
Local: Auditório do Dragão do Mar

Dia 12
Ação Educativa
Horário:8h às 9h30min
Local: cruzamento da Av. Antônio Sales com Av. Rui Barbosa

Palestra dos Convidados Nacionais. Com Paulo Aguiar (Pedala Manaus), Ênio Paipa (Bike Anjo Recife) e Aline Cavalcante (oGangorra/SP)
Horário: 17h às 20h
Local: Auditório Dragão do Mar

Dia 13
Escola Bike Anjo
Horário: 8h30min às 11h
Local: Praça Luiza Távora

Oficina mecânica com as Ciclanas e Aline Cavalcante
Horário: 15h
Local: Praça da Gentilândia

Dia 19
Multa Moral
Organizador: Direitos Urbanos
Hora: 10h
Ponto de encontro: Igreja Nossa Senhora de Nazaré – Montese

Dia 20
Projeto Walk Fortaleza – organizador Direitos Urbanos
Horário: 9h30min
Local: Rua Otoni Façanha (rua compartilhada atrás do hospital São Carlos)

Dia 22
Dia Fortaleza Sem Carro

Dia 26
Ação Educativa
Horário: das 8h às 9h30min
Local: cruzamentos da Av. Washington Soares com Av. Professor Miguel Dias

Seminário Direitos Urbanos
Realizador: Direitos Urbanos
Tema: Calçadas e acessibilidade
Hora: 15h
Local: Parque Rio Branco

 

A programação foi divulgada na fanpage da Ciclovida. É legal dar uma olhadinha por lá de vez em quando, para o caso de alguma alteração 😉

Um abraço, anotem tudo na agendinha e vamos pedalar!

Livro “A Bicicleta no Brasil” será lançado hoje, no Mambembe

lançamento livro

Prato cheio para quem é fã de livros e de bicicletas. Logo mais, às 19h, no Mambembe, ocorre o lançamento do livro “A bicicleta no Brasil”, fruto de trabalho coletivo entre organizações cicloativistas, entre elas a Ciclovida – Associação dos Ciclistas Urbanos de Fortaleza. O evento ocorre simultaneamente aqui e em mais oito capitais. O valor sugerido para a venda da publicação é de R$ 10 para a compra de um exemplar, mas, quem quiser, pode pagar o valor que achar mais justo. Já quero o meu!

Participe do lançamento do livro “A Bicicleta no Brasil 2015”. O evento ocorrerá simultaneamente em nove cidades.

A autoria é de integrantes de organizações de ciclistas locais sob organização da Aliança Bike, Bicicleta para Todos, Bike Anjo e UCB – União de Ciclistas do Brasil.

Fortaleza, claro, está presente através da Ciclovida!

Saiba mais sobre a publicação em http://www.uniaodeciclistas.org.br/eventos/lanca-bici-brasil-2015/

Lançamento: A Bicicleta no Brasil 2015

Onde: Mambembe – comida e outras artes. Rua dos Tabajaras, 368. Praia de Iracema.

Horário: 19h.

Mais informações: Evento no Facebook.

E só lembrando que amanhã é dia de ir #DeBikeaoTrabalho! Já planejou rota e look?

Um abraço e vamos pedalar!

Entrevista – Celso Sakuraba

Celso Sakuraba De Bike na Cidade Sheryda Lopes

Ex-presidente da Associação de Ciclistas Urbanos de Fortaleza (Ciclovida) e atual membro da diretoria, advogado, Bike Anjo, professor de inglês… Muitas atividades para uma pessoa só, e todas exercidas com o mesmo meio de transporte: a bicicleta. Com vocês, Celso Sakuraba.

Há quanto tempo você pedala?

Há três anos.

Quando você percebeu que era possível utilizar a bicicleta como um meio de transporte para as atividades do cotidiano, e não apenas como lazer ou esporte?

Nunca concebi bicicleta como lazer ou esporte. Já comecei a utilizá-la como transporte, quando estudava na Universidade de Coimbra, Portugal.

Quantos quilômetros você pedala por dia e para quais atividades?

Varia conforme a quantidade de alunos, já que lecionar inglês é minha atividade que exige mais deslocamentos. Alguns dias não passam de 10km, outros chegam a 40km. Todo deslocamento que faço é por bicicleta, portanto, todas as atividades.

Em Fortaleza, uma das preocupações das pessoas é em relação ao calor da cidade, e à possibilidade de chegar suado nos locais de trabalho, por exemplo. Como advogado, você usa roupas sociais e precisa estar bem arrumado. Tem algum truque para evitar as manchas de suor e não fazer feio em audiências?

Calor é o menor dos problemas. O suor – que é cada vez menor à medida que a pessoa se acostuma com a bicicleta – seca em minutos. Cada pessoa tem sua forma de lidar com isso. Eu uso uma camiseta branca por baixo da camisa social. Ela absorve todo o suor. O bagageiro impede o suor causado pela mochila nas costas em trajetos acima de 8 km. O paletó pode ser levado na mochila, mas costumo pedalar vestindo-o. Mesmo se eu não adotar nenhuma destas medidas, haverá gente na audiência mais suada do que eu. Suor é totalmente normal e cotidiano, mas só pensamos nele quando falamos de bicicleta, por ser algo alheio ao costume de muitas pessoas. Todo mundo sua. Isso nunca foi um problema.

Seus colegas estranham quando você chega de bicicleta?

Quando estaciono, imagino que não saibam que sou advogado. Dentro do Fórum, ninguém sabe que eu cheguei de bicicleta.

Falando de aspectos jurídicos, que informações você considera importantes para o ciclista urbano? O que ele precisa saber?

A bicicleta é um veículo e tem direito à faixa. Demais condutores devem aguardar atrás e mudar de faixa para ultrapassar. Desrespeitar esta norma é colocar a vida de outrem em risco, o que é um crime. Em caso de desrespeito, é possível chamar a polícia.

Como você avalia o cicloativismo e a inserção da bicicleta no debate e no cotidiano dos fortalezenses?

Fui presidente da Ciclovida em 2014 e atualmente, sou diretor e 2º Tesoureiro. O cicloativismo é fundamental para a mudança das cidades. Só há avanços quando há luta. Este é um fenômeno percebido em todo o Brasil. A razão para isso é que, diante do surgimento do carro, a elite passou a utilizá-lo. Os motoristas, que sempre foram minoria, passaram a ameaçar os ciclistas e a expulsá-los da via através do poder da força física. O poder público, controlado pela mesma elite que conduz os carros, legitimou a agressão ao mantê-la impune e através de medidas que dão a entender que a via é dos motorizados, como o aumento na velocidade máxima e a adaptação das vias para que os motoristas se sintam à vontade utilizando velocidades perigosas. Enquanto não forem os detentores de cargos públicos a sofrer o desrespeito nas ruas – e, principalmente, enquanto forem eles os que o praticam -, não haverá mudança sem luta popular.

Gostaram da entrevista? Deixem sua opinião aí nos comentários!

 

Um abraço e vamos pedalar!

 

Escola Bike Anjo de abril

Está sem planos para o fim de semana e quer muito aprender a andar de bicicleta? Ou ainda, é um ciclista urbano  experiente e gostaria de compartilhar seus conhecimentos? Pois junte a fome com a vontade de comer e apareça domingo, 12, lá na praça Luiza Távora, mais conhecida como Praça do Ceart, para a Escola Bike Anjo (Eba) de abril!

Escola Bike Anjo de abril_Bike Anjo_ De Bike na Cidade

Bike Anjos são ciclistas experientes e apaixonados pelo seu meio de transporte que ajudam pessoas que querem aprender a andar de bicicleta na cidade com mais segurança gratuitamente.
Se você tem interesse em ajudar, dar idéias ou ser um Bike Anjo: http://bikeanjo.org/

Participe!

PRECISAMOS DE VOLUNTÁRIOS!

A EBA começa às 8h30. Pedimos que os voluntários cheguem às 8h para as instruções iniciais.

Temos tido um crescimento considerável na quantidade de alunos por edição. Por favor, voluntarie-se para ajudar a ensinar!

Quando: Domingo, 12 de abril.

Onde: Praça Luíza Távora. Av. Santos Dumont, 60150. Fortaleza.

Todo mês eu digo a mesma coisa, mas é porque me sinto na obrigação: esse evento me ajudou muito na época em que estava escolhendo a minha bicicleta e tentando manjar dos paranauê de pedalar em Fortaleza. Por isso, recomendo demais. Se você não estiver em Fortaleza, procure saber onde será a Eba na sua cidade. Garanto que não vai se arrepender. 😉

Um abraço e vamos pedalar!

Sindiônibus fala sobre atropelamentos de ciclistas

Bom dia para você que não passou todo o feriado tossindo muito e sem voz! rsrsrssr Espero que sua Semana Santa tenha sido ótima. Agora, de volta à ativa! 🙂

No último post, falei sobre dois protestos realizados pelo movimento Massa Crítica aqui em Fortaleza. No primeiro, tive o desprazer de presenciar o atropelamento de um ciclista que participava da bicicletada. Um motorista de ônibus jogou o veículo sobre o grupo, batendo em um dos participantes. Pouco tempo depois, uma outra ciclista foi atropelada por uma motorista de carro particular que fez a conversão à direita sem olhar, colhendo a menina na ciclofaixa. Por sorte, ambos sobreviveram.

Os casos levaram a Massa a se mobilizar mais uma vez. Alguns dias depois, ciclistas foram até os orgãos que consideram responsáveis pela violência ao ciclista no trânsito e pintaram palavras de ordem no asfalto e na parede. Os locais das ações foram a Autarquia Municipal de Trânsito de Fortaleza (AMC), a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), o Paço Municipal e a sede do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus).

DeBikenaCidade - protesto-massa-crc3adtica-fortaleza-sindic3b4nibus-assassino

Protesto da Massa Crítica em frente ao Sindiônibus. Fonte: Massa Crítica/Facebook

Entrei em contato com todos eles, mas, até o momento a Prefeitura não se posicionou sobre o assunto. Já o Sindiônibus, por meio de sua assessoria de imprensa, entrou em contato com o De Bike na Cidade e enviou uma nota, que publico a seguir, na íntegra:

 O Sindiônibus lamenta o que ocorreu ao mesmo tempo em que está tomando providências no sentido de apurar mais detalhes sobre o fato [atropelamento do ciclista durante a Massa Crítica], sempre com o objetivo de identificar possíveis falhas e adotar medidas para a melhoria do serviço, tendo como prioridade o ser humano, quer seja o trabalhador quer seja o usuário, ciclista, pedestre, ou seja, todo cidadão que convive de alguma forma com o sistema de transporte coletivo.

Uma prova disso são os investimentos constantes realizados em treinamento e qualificação dos nossos 11 mil operadores que compõem o quadro do Sindiônibus e das vinte empresas associadas. O DRH (Desenvolvimento de Recursos Humanos) do Sindiônibus e o Criarht (grupo formado por profissionais de Recursos Humanos das empresas associadas) aplicam semanalmente o treinamento Qualidade no Atendimento a Clientes e Acessibilidade, além dos diversos treinamentos oferecidos individualmente por cada empresa de ônibus. Hoje, dia 02 de abril, foi realizado treinamento dessa natureza, na sede do Sindiônibus.

Todos os motoristas e cobradores que entram nas empresas de ônibus recebem esse treinamento que acontece toda sexta-feira às 9h no auditório do Sest Senat e é ministrado por psicólogos de recursos humanos das empresas associadas ao Sindiônibus.

A qualificação tem como objetivo informar e sensibilizar novos colaboradores do sistema urbano para o atendimento a clientes com qualidade, sobretudo àqueles com mobilidade reduzida.

Dentre os temas aplicados no treinamento estão: Qualidade no atendimento e acessibilidade: Nosso papel na inclusão social; O que é acessibilidade; Atendimento aos clientes especiais; Ciclistas; Atendimento ao Idoso; Atendimento à Gestante; Atendimento a Criança; Atendimento a pessoa com deficiência; Deficiente Visual; Deficiente Auditivo; Deficiente Físico; Nosso diferencial é você; Competências essenciais para qualidade no atendimento ao cliente; Campanha: Faça a diferença com boas atitudes, como também o programa Entendendo o SIT-FOR (Sistema Integrado de Transporte).

Esse programa existe desde 2012 e é uma ação criada por iniciativa do Sindiônibus, para capacitar os motoristas e cobradores que entram no sistema de transporte de Fortaleza e região metropolitana e ensina como lidar e como funciona o sistema de transporte coletivo que possui 1955 veículos, 11.682 operadores, 20 mil viagens por dia e atende 1 milhão de passageiros diariamente.

Informações sobre os direitos e deveres dos operadores, organização e operação do sistema, além de orientações gerais, que ajudarão os operadores a exercer suas atividades de forma correta e eficiente, são abordadas no Entendendo o SIT-FOR. Ao final do curso, cada um recebe o Manual do Operador.

Sindiônibus

Em meu contato com o Sindiônibus, questionei sobre qual é a orientação dada aos motoristas que percorrem as vias exclusivas para ônibus e que também são usadas por ciclistas. Vários pedaleiros que conheço se queixam que a atitude dos profissionais do transporte público e bastante hostil em relação aos ciclistas nessas vias e eu mesma já tomei várias finas mesmo a pista estando livre, possibilitando que o profissional mudasse de faixa para me ultrapassar. Os profissionais estariam sendo pressionados a realizar as viagens em menos tempo? Em sua nota, o sindicato patronal não comenta essas questões.

Associação dos Ciclistas Urbanos de Fortaleza defende compartilhamento das vias para ônibus

Associação dos Ciclistas Urbanos de Fortaleza defende compartilhamento das vias para ônibus

O que vocês acharam do posicionamento do Sindiônibus? Quando está pedalando, como é sua convivência com os motoristas do transporte coletivo? Contem aí nos comentários! Quero muito saber qual é a opinião de vocês.

 

Um abraço e vamos pedalar!