Look de Bike – blusa cinza e saia florida

20160309_144909

20160309_144940

Olá, bandipedaleiros! Tudo bem com vocês? Hoje vim compartilhar um look que usei para ir a uma reunião de trabalho e que acho que pode inspirar quem deseja utilizar a bicicleta no dia a dia e quer chegar prontinho ao destino. Acho que a combinação ficou confortável e muito bonita.

Combinei a regata soltinha e pra lá de confortável com essa saia florida linda que minha mãe me deu de presente de Natal (e que eu estava doida para inaugurar). O tecido da regata é leve, não fica grudado ao corpo e a cor é clara, o que ajuda a enfrentar o calor.

A saia também é soltinha e tem forro. O tecido de cima é bem leve, tipo uma renda. O bom dessa peça é que ela é muito confortável e o forro ajuda demais a evitar manchas de suor. Outra vantagem é que ela é curtinha, assim, não há risco de o tecido prender no freio de trás ou em outra peça da bicicleta. Como já contei antes para vocês, sempre pedalo com shortinhos por baixo das minhas saias, mas sei que muitas meninas se sentem bem pedalando sem a peça extra. E eu admiro demais essas gatas que tem essa confiança toda! #girlpower

Nos pés, sapato de salto baixo quadrado que escolhi para a pedalada Ciclochique no ano passado. Ele tem uma cor neutra e é muito confortável, perfeito para ciclistas urbanas que estão acostumadas com rasteirinhas e sapatilhas. Eu não tenho muitos saltos no guarda roupa, então esse nude aí é minha peça coringa para quando não sei que cor usar ou simplesmente quero dar um toque de elegância ao visual.

Por cima de tudo, um casaquinho para proteger do sol e deixar o look mais formalzinho. Se bem que olhando a foto agora, acho que teria sido melhor escolher um de cor mais neutra, pois o poá grandão é descontraído demais… Será que é neura da minha parte? Levando em conta que a minha reunião era com uma produtora cultural jovem e descontraída, talvez seja… Opinem aí!

Acidente de percurso

20160309_154332

Fotinha do meu Instagram e o alívio por não ter perdido nada

Reparem que na foto estou usando uma corrente comprida com um pingente lilás grande e um anel pendurados. Ocorre que na hora em que cheguei ao meu destino, me curvei um pouco para a frente e a corrente acabou rendendo no guidão e quebrando. 😦 A sorte é que não perdi nada! O pingente não tem valor nenhum, mas a aliança era da minha amada vozinha que faleceu em 2013! Mesmo não tendo grande valor financeiro, essa peça significa muito pra mim e me ajuda a sentir minha vozinha mais perto. #saudade

Então, fica a dica: evitem colares compridos no pedal. Vale guardar o acessório no bolso e colocar ao chegar no destino. Peças perdidas à parte, um colar que quebra no caminho pode até provocar um acidente, afinal, algo pode ficar preso na bicicleta ou você pode se distrair e levar uma queda. #armaria #deusmelivre #batenamadeira3x #vaiagourarocão

Um abraço e vamos pedalar!

Anúncios

Vitória Cycle Chic e Revista Gente

Olá, pessoal! Compartilhar com vocês mais duas publicações onde apareci recentemente. 🙂 Uma delas é o site Vitória Cycle Chic, da super Dora Moreira, que além de fazer parte da república Cycle Chic oficial, ainda é estilista de bicicletas e vejam só: cearense! Eu a conheci no 3º Encontro de Bicicletas Antigas que aconteceu aqui em Fortaleza e na ocasião passamos a tarde juntas e conversamos muuuuito. E o legal é que os sites Cycle Chic estão entre os meus prediletos e agora estou em um deles! Que honra!

Vitoria Cycle Chic

Clique da Dora Moreira para Vitória Cycle Chic

E também estou na revista Gente, do jornal Diário do Nordeste com mais algumas minas daqui de Fortaleza que utilizam a bicicleta como meio de transporte. Entre elas a Mara Nívea, que já apareceu aqui com seus cachos poderosos e seu sorriso encantador. A Luisa Pinheiro, amiga querida e uma das Ciclanas, também aparece e também já mostrou seu estilo no post sobre o Ciclochique. Muito bom ver alguma das mulheres ciclistas de Fortaleza! Que inspire muitas!

Capa revista Gente

Capa da edição deste mês da revista Gente

 

Revista Gente

A matéria é da Naiana Rodrigues com produção de Rafaella Bastos e fotos do simpático Lucas de Menezes

A Gente deve chegar esta semana nas bancas. Eu já procurei em algumas, mas ainda não encontrei, mas enquanto isso dá para acessar a versão online. Mas mesmo assim eu quero a minha de papel para guardar de lembrança! Quem encontrar pode me avisar para eu saber em que banca tem? Podem colocar aí nos comentários ou tirar uma foto e me marcar no Instagram. Meu perfil é @sherydalopes.

 

Um abraço e vamos pedalar!

 

Dica: Como pedalar sem pagar calcinha

Olá, pessoal! Quando comecei a pedalar percebi que algumas calças de cintura baixa ficavam desconfortáveis, pois mostravam a calcinha e/ou cofrinho quando eu me curvava. Neste vídeo curtinho eu conto como me adaptei a isso. Confiram e não esqueçam de deixar aquela curtida feliz e de se inscrever no canal!

Ah, é bom ressaltar que essa característica de não querer mostrar a barriga e ter vergonha de deixar a calcinha aparecer quando ando de bicicleta é algo meu, e eu não tenho nada contra às meninas que curtem mostrar mais o corpo. Na verdade, tenho até invejinha porque acho que essas mulheres têm bastante confiança e isso é super legal. E eu queria saber se tem algum truque para pedalar de top e blusa curtinha + cintura baixa sem mostrar a calcinha, ou se o lance é desencanar mesmo. Se vocês souberem, contem aí nos comentários!

Um abraço e vamos pedalar!

Muito estilo no Ciclochique do Mês da Mobilidade

Na última sexta fui ao pedal Ciclochique, evento promovido pela Ciclovida e que faz parte da programação do Mês da Mobilidade. Trata-se de uma referência direta ao Cycle Chic, movimento criado em Copenhagen que estimula o uso da bicicleta com roupas mais casuais e/ou mais elegantes, livrando-nos da limitação de pedalar apenas com roupas fitness.

O encontro foi na Praça Portugal e seguimos por barzinhos pela região. Quer dizer… eu só pude ir ao primeiro porque precisava voltar cedo para casa. Mas o pouquinho que fiquei foi muito divertido! Pude conferir muitos looks bonitos e ainda conheci leitores e leitoras ^^ S2. E foi muito divertido chegar num barzinho de galera e curtir música bacana. Tenho que fazer isso mais vezes.

Meu look ^^

Meu look ^^

20150904_201116

Márcia e Marcela, mãe e filha (JURO!!!)

20150904_201202

Gina, toda Hippie Cycle Chic

20150904_202012

A super estilista de bikes e tb blogueira Dora e a querida Kelly S2

20150904_202125

Lucas, mais um leitor que conheci  🙂

20150904_202413

Galera do passeio!

20150904_202528

Ciclanas! S2

20150904_202552

Ciclanas frescas ^^

20150904_202652

Mário Reginaldo, Bike Anjo, e Arthur Costa, presidente da Ciclovida

20150904_202719

Daniel Nunes Neves, Bike Anjo, leitor, cicloativista e querido amigo 🙂

Mais fotinhas!

Ser ou não ser chique?

Por causa do termo “chique”, o Cycle Chic pode passar a ideia de algo elitista, de que você tem que pedalar com roupas caras e de grife. Mas na verdade, no próprio Cycle Chic Copenhagen, fundador do movimento, é possível encontrar fotos de pessoas chiquérrimas pedalando até com chinelo de dedo, short jeans, camiseta e tênis… A mensagem é: chique é pedalar com seu estilo, não importa qual seja ele. A meu ver, a chiqueza toda está na atitude de assumir a bike como algo seu, como seu meio de transporte e como algo que faz parte do seu estilo. Até separei algumas fotinhas nesse estilo para que vocês vejam que não só de linho e salto alto vive a chiqueza.

Claro que, tem muita gente que aproveita o evento para se montar, vestindo mesmo a brincadeira. E eu adoro isso! #nascidaparaperformance Foi divertido ver as meninas pedalando de salto, com brilhos e bordados e alguns caras de roupinha bem arrumadinha, com muita estampa legal. E também foi legal ver a galera indo pra baladinha com roupa mega casual, bermuda simples e chinelo de dedo. Gente, é muito estiloso sair pra noite do jeito que você quiser! Então, vai ter chinelo de dedo sim, e isso é chique sim, senhor! hehehe E também é muito legal, para as pessoas que gostam de se vestir com roupas mais formais, elaboradas, produzidas mesmo para a noite, descobrir que não precisam descartar a possibilidade de ir de bike para a farra.

Curtiram? Então compartilhem, comentem e mandem pra mim suas fotos sendo Cycle chics/ciclochiques no dia a dia. Quero muito conferir o estilo de vocês e conhecer suas histórias! O email do blog é debikenacidade@gmail.com.

Um abraço e vamos pedalar!

Vi de Bike – amigos no Benfica + Evento Ciclochique hoje

20150825_204642

Há alguns dias participei como voluntária da contagem de ciclistas realizada pela Ciclovida (confira o resultado aqui) no cruzamento da avenida da Universidade com a avenida Domingos Olímpio. Quando terminamos os trabalhos, resolvi dar uma volta pelo Benfica. Fui a um restaurante vegetariano que adoro, encontrei amigas e, na volta, fiz algumas fotos dessa galera simpática. Compondo o cenário, novas ciclofaixas que contemplam o bairro, passando ao lado da famosa (e querida) Praça da Gentilândia.

Brevemente, da esquerda para a direita, conheça essa turma:

Felipe Bira, 22 anos. Estudante e viajante (conforme suas próprias palavras). Pedala há cerca de três anos.

Manjari, 32 anos. Ciclana e mãe. Pedala há tanto tempo que nem sabe quando começou.

Luiza Helena, 22 anos. Yogue e viajante (acho bapho esse povo que se descreve como viajante). Pedala há seis meses.

Evilene Castro, 32 anos. Ciclana e professora. Utiliza a bicicleta como meio de transporte há três anos.

A Manjari e a Evilene eu já conheço, e sei que são pura energia positiva. Os outros dois conheci no dia e senti boas vibes também. E o que une a todos? A bicicleta, é claro! ^^

E vocês? Conhecem essa ciclofaixa? O que acharam? E há quanto tempo vocês pedalam? Contem aí nos comentários!

Ciclochique

Aaaaah! E logo mais, à noite, tem Ciclochique, viu? O evento é parte do Mês da Mobilidade e tem o intuito de mostrar que é possível pedalar com looks que vão além do esportivo. Ou seja: dá pra ir prontinho para o trabalho, encontrar a galera, curtir balada, cinema… Então, escolham se vão adotar um look mais casual, ou se vão aproveitar o evento para se montar e ostentar luxo e glamour. O importante é estilo e claro, o amor pelas bikes. 🙂 Eu ainda estou em dúvida sobre o que vou usar, e olha que já treinei até pedalar de salto durante a divulgação do evento há algumas semanas.

Ciclochique

Mais informações no evento no Facebook. E para saber mais sobre o Mês da Mobilidade, acesse o post que fiz sobre o assunto. Sério, esse mês tá incrível!

 

Um abraço e vamos pedalar!

Look de Bike – Como escolher um sapato para pedalar

Quando comecei a pedalar, basicamente observava e tentava adaptar as peças de roupa que já tinha para andar de bicicleta. Com o tempo, ao ter a chance de comprar roupas novas, comecei a escolher as peças de acordo com os materiais e estilos, para que ficassem bem Cycle Chics. Da mesma forma, isso acontece com meus sapatos e sandálias.

Por exemplo: sempre fui fã de sapatilhas. Acho que são muito básicas, bonitas e confortáveis, além de excelentes coringas. Não sei se só eu faço isso, mas como não tenho muita grana para encher o guarda-roupa, compro o máximo possível de peças básicas e baratinhas, para poder montar muitos looks variados. Nesse sentido, as sapatilhas são perfeitas.

Só que aí comecei a perceber que algumas sapatilhas estavam me deixando tensa e com o pé dolorido após a pedalada. E justamente as que eu acho mais bonitas, aquelas que deixam bastante colo do pé à mostra.

O que observei: quando o calçado não está bem preso no pé, mas bem preso mesmo (o que não quer dizer apertado), instintivamente eu faço força para mantê-lo no lugar. Como o movimento da pedalada leva, naturalmente, à flexão do tornozelo, isso acabava desgastando a articulação e deixando os músculos tensos e doloridos. Sem falar no risco de o sapato escapar no meio da pedalada, causando uma queda.

Aí no fim de semana, quando fui comprar um sapato novo para a pedalada ciclochique pelo Mês da Mobilidade 2015, percebi que faço um teste na hora da escolha. O engraçado é que eu nunca tinha notado que fazia isso! rsrsrsrs Resolvi então fotografar e mostrar para vocês, pois pode ajudá-los na hora da compra.

Teste De Bike na Cidade de qualidade

Primeiro sapatinho testado: uma alpargata Moleca fofíssima

Primeiro sapatinho testado: uma alpargata Moleca fofíssima

É o seguinte: calço o sapato ou sandália e em seguida faço uma “ponta”, alongando o pé, que nem uma bailarina. Isso é para testar se o sapato vai machucar o calcanhar. Vejam na imagem abaixo:

como escolher sapato para pedalar sheryda lopes blog de bike na cidaded (5)

Pé direito fazendo ponta

Em seguida, flexiono bem o tornozelo. É como se apontasse para o joelho com o dedão do pé, sabe? Se o sapato ou sandália escapar no calcanhar, aí ele não vai morar lá em casa. Muito simples e acho que também vale para quem vai apenas caminhar com a nova peça.

como escolher sapato para pedalar sheryda lopes blog de bike na cidaded (6)

O sapato escapou no calcanhar, então: reprovado!

Também observo o material do qual o calçado é feito. Se for muito rígido, pode causar calos. O ideal é que seja feito de um material bem macio e fofinho, que trate seu pé com todo o amor do mundo. Observe também se a cobertura do calçado é delicadinha demais, porque isso pode causar arranhões em sua superfície quando você encostar no pedal da bicicleta. Materiais foscos, por exemplo, disfarçarão melhor possíveis arranhões que os envernizados. Da mesma forma, sapatos estampados ou mais escuros não vão deixar manchas de lama ou graxa tão aparentes. Já os sapatos de tecido são confortáveis, mas podem ficar sujos muito rápido.

como escolher sapato para pedalar sheryda lopes blog de bike na cidaded (1)

Sapatinho lindo, estilo boneca e com tornozeleira

como escolher sapato para pedalar sheryda lopes blog de bike na cidaded (2)

Só que o material era muito rígico, e percebi que ia machucar meus pés. :/ Reprovado!

Salto alto

Mesmo para caminhar, eu nunca gostei muito de salto alto. O que posso dizer é que é possível sim, pedalar de salto, mas aconselho evitar aqueles tipo agulha fininhos porque eles podem ficar presos nas frestas do pedal da bicicleta. Já os saltos quadrados, anabela e plataforma, podem evitar esse acidente e deixar a pedaleira ou pedaleiro mais confiante na hora de parar e pôr o pé no chão, sem perder o equilíbrio.

Também aconselho evitar os sapatos de bico fino, pois eles aumentam a pressão nos dedos, machucando bastante. Mas isso é dica de quem não é acostumada a usar salto, gente. Pode ser que haja meninas e meninos que usem e que conseguem lidar com essas características. Aliás, se alguém assim estiver lendo este post, favor deixar seu testemunho aí nos comentários!

E eu meio que me contradisse um pouco na minha escolha! hahaha Acabei levando um sapato de salto baixo da Beira Rio, que é muito confortável, me calçou muito bem… mas é bege e envernizado! rsrsrsrs Comprei porque não resisti e acho que vai integrar um monte de looks bonitos. Além disso, conheço essa coleção porque tinha uma sapatilha vermelha dela, e que eu usei por muito tempo, até a sola arrancar. A cobertura do sapato, apesar de envernizada, é bastante resistente. Ainda assim, estou pensando em um modo de protegê-la quando for sair de bicicleta calçando o sapatinho novo. Mas essa dica fica para outro post. 😉

como escolher sapato para pedalar sheryda lopes blog de bike na cidaded (7)

Na hora da ponta, ele não machucou o pé

como escolher sapato para pedalar sheryda lopes blog de bike na cidaded (8)

Ao flexionar o pé, ele não escapou! Aprovado!

E vejam o Look que usei para o pedal ciclochique, já de sapatinho novo! Fotografei no banheiro de um estabelecimento porque troquei de roupa lá. E como estava com muito medo de que chovesse, minha maquiagem era apenas pó translúcido, delineador, blush e batom. Caso me molhasse, o derretimento viria com menos prejuízo!

como escolher sapato para pedalar sheryda lopes blog de bike na cidaded (9)

como escolher sapato para pedalar sheryda lopes blog de bike na cidaded (10)

como escolher sapato para pedalar sheryda lopes blog de bike na cidaded (11)

como escolher sapato para pedalar sheryda lopes blog de bike na cidaded (12)

 

ciclochique-2

Os outros ciclistas chiques que fizeram parte da pedalada. Saiu até no Tribuna do Ceará!

A propósito, o pedal ciclochique foi uma ação da Ciclovida para chamar a atenção para o Mês da Mobilidade 2015. Está rolando uma campanha no Catarse, ainda não conseguimos nem metade dos recursos necessários e faltam só 10 dias para a campanha acabar. Se não conseguir a meta, que é R$ 6 mil, a Associação não receberá nem um tostão do dinheiro doado. Tem inclusive o orçamento dos eventos na campanha, para todos saberem para quê, exatamente, estão doando! Então, coce os bolsos e ajude com a quantia que puder! Compartilhe a campanha com seus amigos e vamos fazer um setembro bapho! E rápido! Isto não é um treinamento! Repito: isto não é um treinamento!!

Um abraço e vamos pedalar!

E contribuir!

Eventos – Pré-Ciclochique e Mesa Redonda sobre direitos e deveres no trânsito

Abra sua agenda e anote aí: hoje é dia de pedalar muito chique, bem! E amanhã, é dia de debater e tirar dúvidas sobre o que pode e o que não pode fazer no trânsito, seja você ciclista, pedestre ou condutor de veículo motorizado.

Pré-Ciclochique do Mês da Mobilidade

pré-ciclochique

Os phynnos do ano passado

Bicicleta também é um veículo para ir ao trabalho e às festas!

Vamos pedalar com elegância, mostrando que é possível deslocar-se a todo lugar de bicicleta pela cidade!

A ideia do evento é mostrar que é possível pedalar para qualquer ocasião e lugar, inclusive sem abrir mão do próprio estilo. Quem acompanha o blog e conhece os Looks Cycle Chics sabe bem do que estamos falando, né? E apesar de que o termo Cycle Chic não quer dizer necessariamente roupa cara, de grife, ou um estilo específico – pra mim, dá para ser chique de chinela de borracha – acredito que muita gente vai brincar com o conceito e fazer um look super glamouroso. Estou ansiosa para ver esse povo de pano passado. Ou não! ^^

O evento de hoje é uma prévia para a mesma pedalada que está prevista para o Mês da Mobilidade, em setembro. Inclusive, você já contribuiu? Coçar os bolsos por uma boa causa é chique, viu? Chiquérrimo! O evento vai ser massa e precisa de uma mãozinha para acontecer. Contribua!

Quando: Hoje, às 19:00.
Onde: Praça Do Ciclista – Avenida Aguanambi, S/N – José Bonifácio, Fortaleza.
Para maiores informações, acesso o evento no Facebook.

 

Mesa Redonda Direitos e Deveres no Trânsito: A relação entre Pedestres, Motoristas e Ciclistas

direitos e deveres

O objetivo é discutir a atual legislação de trânsito sob o prisma crítico de quem tem experimentado sua (não) aplicação na prática cotidiana e como atuar para termos uma cidade mais humana e que valorize a vida.

O arretado Coletivo Ciclanas, que nasceu em março deste ano, está organizando esse evento massa. Já temos presença confirmada de Celso Sakuraba da Ciclovida, José Otávio do grupo Direitos Urbanos Fortaleza, Piero Barbacovi, do Instituto Verdeluz, Larissa Gaspar, Coordenadora de Políticas Públicas das Mulheres da Secretaria de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Ceará, André Luiz Barcelos, Diretor de Trânsito da AMC, Arthur Chaves, do Sindiônibus e Tobias Brandão, Diretor do SINTRO.

Mediando o debate, estarei eu, esta blogueira que vos fala! Pense na responsabilidade! Confesso que estou nervosa mas vou fazer o melhor que puder. Acho que todos vocês deveriam aparecer, para dar um apoio emocional e contribuir com a discussão! Será uma excelente oportunidade de tirar dúvidas e refletir sobre formas de construir um trânsito mais harmonioso em nossa cidade.

Quando: Amanhã, às 16:00.
Onde: Auditório do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, próximo ao Planetário.
Para maiores informações, acesso o evento no Facebook.

Apareçam!

Um abraço e vamos pedalar!