Vi de Bike – Fátima Muniz

Vi de Bike Fatima Muniz blog De Bike na Cidade by Sheryda Lopes

Numa das idas ao IFCE para participar de um processo seletivo, tive um feliz encontro no estacionamento. Conheci a Fátima Muniz, 26 anos, estudante de teatro. Fazia um pouco mais de uma semana que ela tinha começado a utilizar a bicicleta como meio de transporte e eu achei isso o máximo! Ela me falou um pouco de como estava sendo a experiência e eu cheguei a ficar emocionada, porque me lembrou muito as minhas vivências de 3 anos atrás. Inclusive o IFCE faz parte dessas lembranças, porque eu pedalava até lá para fazer natação.

E assim como eu, ela alimentou por bastante tempo a vontade de começar a pedalar até que finalmente conseguiu colocar o plano em prática. “Eu não acredito numa harmonia urbana com tanto carro e estresse. Acho que a harmonia vem de meios mais simples de se locomover e vivenciar a cidade”, explica. Entre as principais vivências, ela destaca a sensação de liberdade, o prazer de sentir o vento e perceber outros aromas. E como todo ciclista, também tem enfrentado muitos desafios, principalmente aqueles relacionados à violência no trânsito. Mas não desanima, pois sabe que hostilidade não é a única coisa que nos aguarda nessa selva de concreto e asfalto.

“Apesar de tudo, percebo que existe muita gentileza no trânsito. E não só de quem está de bicicleta, mas também de motoristas e pedestres. Dia desses, por exemplo, um táxi me deu uma fechada (#DemorôUber) e quase me derrubou. Tomei um susto, mas logo em seguida um outro motorista deixou bastante espaço para que eu conseguisse passar com segurança”, conta. O nome que a ela escolheu para batizar a própria bicicleta, na minha opinião, traduz bem esse sentimento de descoberta: Aurora.

E depois desse papo incrível, acabei até esquecendo de conversar com ela sobre os looks que gosta de usar para pedalar. ^^ Bom demais saber de mais mulheres nas ruas, né, gente? E a propósito, essa não foi nem a primeira Fátima e nem a primeira estudante de teatro do IFCE que eu conheci enquanto pedalava. Estamos nos multiplicando e não tem mais volta!

A Fátima faz parte do grupo Teatro Ateliê e eles estão com várias apresentações marcadas. Fiquem atentos e vão lá conhecer o trabalho da moça! 🙂

Um abraço e vamos pedalar!

 

Anúncios

Além de bike – Passei no IFCE!

Passei no ifce artes visuais sheryda lopes instagram de bike na cidade

A cara de felicidade da pessoa no dia da matrícula

Gente, é com muita alegria que venho compartilhar uma novidade com vocês: vou fazer outra graduação! Fui aprovada recentemente  no curso de licenciatura em artes visuais do Instituto Federal  de Ciência, Educação e Tecnologia do Ceará (IFCE). Para quem não sabe, me formei em jornalismo em 2010 e já trabalhei como repórter em dois jornais locais, além de já ter atuado nas áreas de assessoria de comunicação, comunicação comunitária, mídias sociais, entre outras. Também passei por uma pós graduação em linguagens e mídias digitais e falta um tantinho assim para terminar, mas por enquanto esse projeto está suspenso. E claro, tem este blog, que também é fruto das experiências e conhecimentos que adquiri ao longo desses anos.

Mas por que fazer outra graduação? Há algum tempo venho passando por um processo de construção individual bem profundo, e que chegou a me deixar na bad várias vezes. Inclusive no ano passado cheguei a falar disso por aqui. Uma das razões era profissional, pois além de o mercado do jornalismo estar muito difícil, vivi uma situação de assédio moral há alguns anos que me abalou bastante. Se por um lado ficou o trauma (e que trauma), por outro me levou a mexer em várias coisas em diferentes áreas da minha vida. E então percebi que estava precisando explorar outras possibilidades, entre elas habilidades que me dessem prazer e um tchans na minha autoestima.

Sirlanney

Arte incrível da @Sirlanney que retrata bem o que senti várias vezes

Foi aí que resolvi voltar a desenhar, pintar e criar. Entrei no Vitrola Nova, coral cênico que me ajudou a perder o medo de cantar. Comprei cadernos de desenho, lápis de cor, canetinhas, comecei a seguir artistas no Instagram e construir murais no Pinterest, conversar com artistas da minha cidade e ilustradores de moda. No começo do ano participei de uma oficina de aquarela com a Juliana Rabelo e meu interesse em estudar arte foi aumentando.

Então percebi que precisava estudar mais para desenvolver minhas técnicas e aumentar minha zona de conhecimento, além de abrir novas possibilidades de atuação. Depois de muita conversa com amigos da área e de muito refletir, decidi participar do processo seletivo de graduados e transferidos do IFCE e entrei! 🙂 E olha que foi um processo muito louco porque eu fiquei sabendo do edital no finalzinho e ainda fiquei trancada no dia da prova!

E sabem o que é interessante? Há exatos dez anos eu conquistava uma bolsa pelo Prouni e começava, animadíssima, minha jornada no curso de jornalismo da Faculdade Integrada do Ceará (hoje Estácio FIC). Entrar na faculdade era um sonho e eu não cabia em mim de tanta alegria. E depois de tanta luta e sacrifício, eu achei que estaria cansada, triste e frustrada demais, e que não suportaria tentar outra graduação. Mais que isso: a ideia me apavorava!

Mas depois de abraçar meus monstrinhos interiores e de tentar compreendê-los, no dia 13 de junho começo um curso novo. E com um bônus: trata-se de uma licenciatura, então existe a possibilidade de eu dar aula, algo que eu não cogitava e que agora me faz sorrir. Alguns dias depois, em 28 de junho, completarei meus 30 anos! Ser caloura não era o que eu planejava para esta idade, mas vejam só que aprendizado: lidar com as surpresas, com as novas experiências, com as possibilidades… Não vou mentir pra vocês: Estou com medo. Mas também muito animada com o que virá.

Muito obrigada por me permitirem compartilhar algo tão íntimo com vocês. Torçam por mim, tá bem?

 

O curso ainda não começou, mas já estou experimentando: Atualmente faço marcadores de livros pintados à mão em aquarela, à venda na Úrbici, e disponibilizei duas artes no meu studio no Colab55. Vocês podem adquirir camisetas, canecas, capas de celular e vários outros produtinhos ilustrados e me ajudar a comprar o material do curso. ^^ #miçangasdashumanas

Um abraço e vamos pedalar!