Vi de bike – Marina Felipe

Marina Felipe De Bike na Cidade Sheryda Lopes (3)

Mais um encontrinho de bike. Desta vez o acaso me apresentou à estudante de filosofia da UFC Marina Felipe, de 21 anos. Ela pedala há mais ou menos o mesmo tempo que eu, cerca de um ano, e utiliza a bicicleta para ir de casa para a faculdade e de vez em quando a passeios na Beira Mar, totalizando uma média de cinco quilômetros por dia de pedalada.

A escolha pela bicicleta foi feita para proporcionar um pouco de exercício físico à estudante, que é uma sedentária assumida, e também por causa da praticidade na locomoção. “Juro que não consigo pegar ônibus! Demoram demais, são muito lotados! De bicicleta é bem mais rápido e confortável”, conta ela.

Marina Felipe De Bike na Cidade Sheryda Lopes (2)

Marina Felipe De Bike na Cidade Sheryda Lopes (1)

Embora estivesse usando calça e camiseta quando nos encontramos, Marina diz que gosta mesmo é de vestidos e saias leves, sempre com shorts por baixo. A escolha pela calça é feita geralmente em dias de sol forte, para ajudar a proteger a pele. E ela gosta de simplicidade: sempre pedala de roupas casuais e gosta de usar chinelo.

Sobre pedalar pela cidade, ela observa que uma mulher de bicicleta causa estranhamento. Ela disse que as pessoas costumam olhar quando ela passa e algumas até chegam a tirar onda, mas isso não a intimida. Aliás, ela já até foi assaltada numa rua perto de casa quando voltava da faculdade e nem isso a impede de pedalar. “Levaram só o meu celular, mas é porque eu ando de bicicleta de um jeito muito avoado, relaxando e pensando na vida. Rsrsrs Agora estou tomando mais cuidado e optando por avenidas mais movimentadas quando está tarde. O problema são os motoristas que tiram fina da gente e não estão nem aí. É horrível”.

Agora a moça se prepara para ganhar a estrada. Ela e um grupo de mais ou menos 20 pessoas se preparam para pedalar até Jericoacoara, paraíso que fica a 295 quilômetros da Capital, no final do ano. Eu achei incrível, pois mesmo não sendo uma ciclista olímpica, simpatizo muito com a ideia de conhecer outros lugares de bicicleta e ir acampando no caminho. Quem sabe não rola a coragem um dia?

Mas mesmo pedalando só em Fortaleza a gente tem bagagem e é preciso carregá-la na bike. Gostei muito da ideia dela de colocar um cestinho de supermercado na garupa para guardar as coisas. Com certeza deixa tudo bem mais prático. Para proteger a bolsa, ela passa a alça por baixo do selim para evitar que puxem. O que vocês acharam?

Marina Felipe De Bike na Cidade Sheryda Lopes (4)

Um abraço e vamos pedalar!

Anúncios

Vi de Bike – Clívia, com “C”

 

clivia_blogdebikenacidade_sherydalopes

 

O look cycle chic de hoje é de um flagrante em plena ciclovia da Bezerra. Estava passando por lá no fim de tarde, horário cheio de bicicletas por causa do pessoal que volta do trabalho. Aí me deparei com esta ciclista esbanjando charme e elegância. Achei o visual impecável, principalmente pela blusa branca aparentemente super confortável. Ela diz: “olhe pra mim! Pedalo pela cidade sem  transpirar e isso é tão natural”!

 

Devido ao barulho do trânsito, a gente mal se ouvia. Mas ela entendeu que eu queria a foto e parou.

– Sua roupa tá linda! E qual é o seu nome?

Buzina buzina carro passando… ívia!

– Como?

Mais carro, mais motor… Ívia!!

– Ah, Lívia?

– Não, com “C”! Buzina

– Ah, Lícia?

– Não! CLÍVIA! Com “C”!

 

E foi assim que conheci Clívia, com “C”, estudante de Engenharia Civil da UFC, 27 anos.

 

Um abraço e vamos pedalar!