Look de bike – Legging e boina em Recife

Look de Bike em Recife Vestido boina De Bike na Cidade by Valéria Pires (3)

Olha essa arte que incrível! O desenho é formado por latinhas velhas de tinta e o nome do artista é Junior Zurdo

Oiê! Fuçando o meu computador encontrei várias fotos do ano passado, entre elas da viagem que fiz a Recife para o I FNEBICI e que ainda não foram publicadas por aqui. E aí que encontrei este look super legal que foi fotografado pela maravilhosa Valéria Pires, uma bike anjo recifense que é a coisa mais maravilhosa dessa vida. Ela foi quem me hospedou durante os dias do evento e a simpatia e generosidade dessa querida me conquistou tanto que eu sinto muita saudade de seu carinho até hoje.  Aliás, também tô devendo falar mais sobre ela aqui no blog.

Como a Lela (apelido carinhoso) é uma empreendedora, nós tivemos pouco tempo juntas, então aproveitamos a manhã da minha viagem para Fortaleza para passear por Recife e tirar fotos. Ela me mostrou alguns dos lugares mais bonitos da cidade, com muita arte urbana e cores deliciosas. Cores, aliás, que eu fiz questão de colocar no meu look, que tem esse vestido amarelo bem alegre! Para contrapor, casaquinho escuro de bolinhas e legging preta, inaugurada nesse dia. E o meu All Star branco, comprado para a viagem porque eu tava querendo muito um tênis dessa cor.

Na cabeça, a boina que eu peguei emprestada do Yargo Gurjão, do Coletivo Nigéria. Acessório, inclusive, que eu adorei, e que eu fiquei muito a fim de roubar comprar uma pra mim. Já tem uns meses que eu parei de usar capacete (em outro momento a gente entra nessa polêmica) e não tinha pedalado de chapéu ainda. Pessoal, faz uma diferença incrível no bem estar da gente e na sensação do rosto. Até os olhos ficam mais descansados. Mas tem que ser um chapéu de tecido grosso e frio, que nem essa boina, porque eu já pedalei de boné de nylon e a impressão que dá é que a cabeça da gente vai fritar.Look de Bike em Recife Vestido boina De Bike na Cidade by Valéria Pires (1)

A pedalada foi muito confortável porque os tecidos de todas as peças que escolhi são muito leves.  Mesmo a legging sendo escura e o casaco também, e com o sol que estava fazendo, não rolou de eu ficar tão suada. Acho que também porque pedalamos pela região do Centro de Recife, que é bastante arborizada e fresca – Prefeitura, favor deixar essas árvores maravilhosas onde elas estão, por favor!Look de Bike em Recife Vestido boina De Bike na Cidade by Valéria Pires (2)

Look de Bike em Recife Vestido boina De Bike na Cidade by Valéria Pires (4)

Vocês conseguem imaginar o quanto eu estava feliz nesse dia?

Gostaram das fotos e do look? Foi uma delícia fazer este post e revisitar essas lembranças. Ah, e compartilhando com vocês, fica melhor ainda!

Um abraço e vamos pedalar! 

 

Anúncios

Look de Bike – Camisa rosa e saia bege

Sheryda Lopes Blog de Bike na Cidade Camisa Rosa _ by Francisco Barbosa (2)

O look de hoje foi fotografado na volta de um freelancer. Na composição, camisa social num tom de rosa e uma saia bege que eu adoro porque tem um tecido que aguenta bastante lavagem à máquina  (fator importantíssimo, na minha opinião),  e amassa pouco. Já essa camisa aí é um pouco mais problemática, e por isso fica mais tempo no guarda roupa. Na foto já dá para ver que ela ficou beeem amarrotada, e isso nem tem tanto a ver com a bicicleta. Mesmo de ônibus ou carro, ela já tem tendência a ficar amassada e meio torta. Uma pena, pois além de ser uma das poucas camisas sociais que eu tenho, ela tem essa cor sóbria, bem coringa e que é bem diferente de outras cores que gosto de usar.

Sheryda Lopes Blog de Bike na Cidade Camisa Rosa _ by Francisco Barbosa (3)

Sheryda Lopes Blog de Bike na Cidade Camisa Rosa _ by Francisco Barbosa (4)

Sheryda Lopes Blog de Bike na Cidade Camisa Rosa _ by Francisco Barbosa (5)

Nos pés, sandália de salto baixinho que já apareceu aqui em outro look. Mais uma vez, achei tranquilo pedalar com ela, embora tenha passado um pequeno susto: Passei numa rua onde algum ser humano de alma muito elevada achou de jogar no meio fio um monte de restos de construção. Ao passar por cima do pequeno montinho de entulho, a Shamira derrapou e por sorte eu consegui manter o equilíbrio e parar no maior estilo. Gente, fez um barulhão! Tinha umas senhorinhas sentadas na calçada que se viraram rápido pra ver se eu estava bem, mas eu consegui parar toda no estilo, de salto “alto” e tudo. Parecia a Viúva Negra hehehe.

Viúva Negra Blog de Bike na Cidade Sheryda Lopes

Pedaleiras, atenção para a dica de hoje: cuidado com restos de construção na rua. Além de conter materiais que podem fazer sua bicicleta derrapar, também podem haver restos de vidro e cerâmica, e com eles, o risco de furar o pneu da bike. 😉

 

 

 

Um abraço e vamos pedalar!

Look de Bike – Camisa verde e tênis

look de bike na cidade sheryda lopes by Francisco Barbosa (3)

 

Olá, olá, nação pedaleira e bonita. O look de hoje é suuuper confortável e com itens que eu não costumo usar muito, como o short jeans e os tênis. Quis variar um pouquinho, fazendo um visual sem saia, sandália rasteira ou sapatilhas. Uma boa sugestão para quem vai sair com os amigos neste fim de semana e quer um visual mais descontraído.

look de bike na cidade sheryda lopes by Francisco Barbosa (2)

look de bike na cidade sheryda lopes by Francisco Barbosa (1)

look de bike na cidade sheryda lopes by Francisco Barbosa (5)

look de bike na cidade sheryda lopes by Francisco Barbosa (4)

A chave desse visual é a camisa verde de botão. Ocorre que essa peça é muito bacana para pedalar, pois é versátil, fica arrumadinha e tem várias entradas de ar, facilitando a evaporação de suor. Para prevenir o aparecimento de manchas de suor nas costas ou na barriga, e também para evitar transparência, usei uma regatinha verde por baixo. Se for para alguma peça ficar úmida, vai ser ela.

Essa camisa é de um modelo mais justo, então eu não poderia pedalar com ela fechada. Na hora de sair, abri todos os botões (outra razão para usar a regata por baixo) para garantir a liberdade dos movimentos e também para favorecer a ventilação. No caso dos meninos, geralmente os modelos são mais folgados, então é possível pedalar com a camisa fechada, o que também ajuda aqueles que usam roupas mais formais para trabalhar.

Ao abrir os botões da camisa, faça carão

Ao abrir os botões da camisa, faça carão

look de bike na cidade sheryda lopes by Francisco Barbosa (7)

Vantagem de usar os tênis: é mais confortável, já que o calçado fica bem preso nos pés. Para evitar transpiração e meias úmidas, lance mão de seu talquinho para o pé preferido (recomendo marcas que não testem em animais). E para evitar acidentes, coloque o lacinho do cadarço bem preso e prenda as pontas no próprio tênis, pois se ele desatar no caminho há o risco de enrolar na corrente.

Gostaram? Comente o post e deixe aqui sua dica. Também aguardo suas fotos com as roupas que usam para pedalar no dia a dia. Mande para debikenacidade@gmail.com .

 

Um abraço e vamos pedalar!

 

Look Cycle Chic – Escola Bike Anjo de fevereiro

Ontem fui conferir a Escola Bike Anjo, na praça Luiza Távora, que fica na avenida Santos Dumont. O evento acontece todos os meses e tem o objetivo de ensinar pessoas de todas as idades a pedalar. Foi por meio dele que consegui dicas que me ajudaram a escolher minha bicicleta. Gosto de ir para trocar ideia com outros ciclistas urbanos e também para levar a Shamira para que outras pessoas experimentem o modelo e a usem em suas primeiras lições no selim. É minha forma de retribuir a ajuda que recebi e ainda recebo dos Bike Anjos, que sempre esclarecem minhas dúvidas pela Internet.

Para ir ao evento, montei um look inspirado no filme Comer, Rezar, Amar. Quando a personagem da Julia Roberts vai morar em Bali, um lugar quente pra dedéu, a bicicleta se torna seu meio de transporte. Vestida com simplicidade e roupas super fresquinhas, ela percorre os lindos cenários da capital da Tailândia e ainda conhece o personagem do Javier Barden, um brasileiro charmoso que fala português de um jeito que não convence.

eba fevereiro sheryda lopes de bike na cidade (1)eba fevereiro sheryda lopes de bike na cidade (2)eba fevereiro sheryda lopes de bike na cidade (4)

A bata de cor super vibrante (presente da sogra ^^) é ótima pois o tecido é leve e não fica colado ao corpo, fazendo com que o suor evapore mais depressa e evitando aquelas manchas feias de umidade.  Roupa soltinha assim promove circulação de ar, um alívio durante as pedaladas.

Por baixo da bata usei um short branco de tecido também leve. Na volta percebi que a pele da parte interna da minha coxa ficou irritada devido ao contato com o selim. Isso pode ter acontecido porque o short estava curto e ainda subia durante os movimentos, ou ainda, por causa do calor e suor. Vou testar a peça mais vezes e ver se foi isso mesmo, ou, se a irritação apareceu porque pedalei demais sábado e ontem (não é por nada não, mas foram uns 50 km no total #beijonoombro), ambos os dias de short curto.

A rasteirinha presa nos pés complementou o look. É bom evitar calçados soltos, pois podem escapar durante a pedalada. E cair de short branco nunca na galáxia, né gente? Nos cabelos, minha bandana de algodão, fiel companheira que segura a umidade do cabelo e também do rosto. Sem ela, percebo que a maquiagem dura menos e o rosto fica mais oleoso.

E vamos às fotos do EBA de fevereiro.

A estudante Mara Oliveira e sua bike de roda fixa

A estudante Mara Oliveira e sua bike de roda fixa

Bike Anjo trabalhando

Bike Anjo trabalhando

eba fevereiro sheryda lopes de bike na cidade (13)

Estilo define.

De bike casamiga

De bike casamiga

Aprendendo a pedalar na Shamira

Aprendendo a pedalar na Shamira

A jornalista Anna Cavalcanti aprendendo a pedalar na Shamira

A jornalista Anna Cavalcanti também aprendendo a pedalar na Shamira

E pegou o jeito rapidinho!

E pegou o jeito rapidinho!

eba fevereiro sheryda lopes de bike na cidade (10)

Domingo bom para andar de bicicleta

A Maria Tereza Leite trouxe as filhas Maria Emília Schetinni e Ana Carolina Leite para aprenderem a pedalar

A Maria Tereza Leite trouxe as filhas Maria Emília Schetinni e Ana Carolina Leite para aprenderem a pedalar

Aproveitei para dar umas voltas na bike fixa da Mara

Aproveitei para dar umas voltas na bike fixa da Mara

eba fevereiro sheryda lopes de bike na cidade (17)

Pedale… e sorria!

Se você quer aprender a pedalar, ou quer conhecer gente fina, elegante e sincera, fique atento ao grupo do Massa Crítica e à página da Ciclovida no Facebook. O próximo encontro está previsto para o 2° domingo de março na Praça Luiza Távora, na avenida Santos Dumont.  Também vou postando novidades por aqui.

Um abraço, e vamos pedalar!

Shamira

Imagem

Depois de perguntar muito por aí sobre marcas e modelos de bicicletas, acabei escolhendo uma Tito Urban Premium. Quis esse modelo porque sou apaixonada por bicicletas urbanas com o quadro mais rebaixado, típico de bikes européias e de estilo mais vintage. A intenção desse tipo de bicicleta é proporcionar mais conforto nas pedaladas em ambiente urbano, visando menos a questão da velocidade e mais a praticidade. E além de tudo SÃO TÃO LINDAS E ROMÂNTICAS!!!! ^^

O quadro rebaixado ajuda as meninas a não levantarem tanto a perna ao montar e desmontar, facilita momentos em que é necessário saltar da bike para subir em canteiros e calçadas (nunca pedale em calçadas) e também forma uma alça, útil para quando queremos carregar a bicicleta. O quadro é todo em alumínio, material popular e conhecido por ser mais leve e durável, embora vários ciclistas prefiram bicicletas em aço.

Outra vantagem do modelo é que ele vem com vários furos, permitindo que sejam instalados bagageiros, porta garrafinhas, etc. O protetor de correntes ajuda a evitar que a barra da calça encoste na corrente e fique suja de graxa.

O modelo Tito Urban Premium vem com o jogo de marchas Shimano, pára-lamas e suspensão dianteira. Muita gente que pedala em Fortaleza há bastante tempo afirma que suspensão e marchas são desnecessárias, pois nossa cidade é plana e os buracos não são tão punks para pedirem amortecimento. Porém, eu achei melhor adquirir a bicicleta completa pois achei a diferença de preço pequena e eu não teria o trabalho de sair procurando as peças separadamente para instalar, caso mudasse de ideia. E não me arrependo, pois como tenho tendência a sentir algumas dores nas costas, acho que quanto menos impacto melhor. Além disso, uso bastante as minhas marchas, pois em meus caminhos tem várias subidinhas que os meus pulmões outrora completamente sedentários penam para vencer. Quanto aos pára-lamas, são fundamentais para evitar que terra e lama voem direto na sua cara ou nas costas.

O que mais tenho a falar de minha bicicleta? Ela tem um selim bem fofinho e grandão, parece um sofá. E a mesa (a parte superior do guidão) é ajustável, então eu posso colocar mais para a frente, proporcionando uma postura mais deitada sobre a bicicleta, ou mais para perto do selim, fazendo com que a coluna fique mais ereta.

Muita gente diz que a cor, mais o modelo diferenciado, chamam bastante a atenção e pode fazer crescer os olhos de ladrões. Porém, essa cor vibrante me ajuda a ser vista no trânsito, o que é muito importante. Quanto aos ladrões, caso eu seja roubada (bate na madeira 3x), prefiro encontrar um policial e dizer que minha bicicleta rosa choque foi levada do que uma bicicleta preta, mais difícil de diferenciar.

Mas por que Shamira?

Shamira é o nome de uma personagem do livro A Batalha do Apocalipse, de Eduardo Spohr. A história envolve conflitos políticos entre anjos, céu, inferno e Terra. No caso de Shamira, ela é uma feiticeira necromante pra lá de valente. Para quem não conhece a cultura nerd RPGística, os necromantes tem o  poder de manipular forças sobrenaturais ligadas à morte. Apesar disso, Shamira não é má e se torna uma super parceira de Ablon, o anjo renegado que é protagonista do livro.

Como ela é guerreira e não tem medo de enfrentar desafios, achei que seria a minha companheira perfeita para aprender a pedalar na capital cearense. Acho até que a cor perfeita para Shamira seria lilás, e não rosa, mas infelizmente não tinha Tito Urban dessa cor. But no problem. Rosa detona também 🙂